ANUNCIADO DETALHES DA TURNÊ EM TRIBUTO A DIO

24 03 2011

Fonte: Kerrang

Wendy Dio, viúva do velho Ronnie, revelou os detalhes da tour em homenagem ao seu marido, que perdeu a batalha para um câncer em maio do ano passado.

Os antigos membros da banda de Dio – Rudy Sarzo no baixo, Simon Wright na bateria, Craig Goldy na guitarra e Scott Warren nos teclados – se juntarão ao ex-Judas Priest Tim “Ripper” Owens e a Toby Jepson (Little Angels/Gun) para uma excursão pela Europa. A banda se apresentará sob o nome de Dio Disciples (Discípulos de Dio na tradução para o português).

“Nunca haverá outro Ronnie”, diz Wendy, “entretanto queremos manter sua música viva, e esperamos que vocês apóiem a banda e se tornem um dos discípulos de Dio”.

As datas da turnê serão divulgadas em breve.

Anúncios




“NÃO HAVERÁ REUNIÃO DO BLACK SABBATH”, DIZ GEEZER BUTLER

16 02 2011

Fonte: Kerrang

Após Ozzy Osbourne ter dito no mês passado que conversas estão em curso com a finalidade de reunir a formação original do Black Sabbath, o baixista Geezer Butler incinerou qualquer possibilidade com relação a isto.

“Eu gostaria de deixar claro, por causa de montes de especulação e boatos, que definitivamente não haverá uma reunião dos quatro membros do Black Sabbath, seja para um novo álbum ou para uma turnê”, falou Geezer numa declaração oficial.

A formação original do Sabbath, que além de Geezer e Ozzy, conta com Tony Iommi na guitarra e Bill Ward na bateria, entrou pela última vez num estúdio em 2001, junto com o produtor Rick Rubin. As sessões de gravação foram encerradas após Ozzy sair para se concentrar na sua carreira solo.





“SE VOCÊ TEM UM SONHO, CONTINUE ACREDITANDO NELE”, ENSINA OZZY OSBOURNE

11 02 2011

Fonte: The Macomb Daily

O site “The Macomb Daily” produziu uma matéria sobre Ozzy Osbourne e contou com depoimentos exclusivos do mad man. Ozzy falou de seu recente álbum, “Scream”, do reality show “The Osbournes”, de sua vida, dentre outros assuntos.

Confira a matéria na íntegra, em português, com exclusividade no IMPRENSA ROCKER!

Após quase 45 anos fazendo música, criando caos e andando no tipo de trem louco do Rock n’ Roll que poucos conseguem, Ozzy Osbourne é o primeiro a reconhecer que sua simples existências “é um milagre”.

“Com tudo que já fiz e já passei, sou apenas um cara muito sortudo de não estar a sete palmos do chão, empurrando margaridas, sabe?”, diz Osbourne, que vendeu mais de 100 milhões de álbuns ao redor do mundo sozinho e como parte do Black Sabbath, com quem foi introduzido ao Rock n’ Roll Hall of Fame em 2006.

“E sou como um rato de laboratório que sobreviveu”.

Mais do que sobreviver, entretanto, Osbourne está prosperando e em mais evidência do que nunca nos dias de hoje.

No ano passado ele publicou sozinho uma franca, engraçada e premiada autobiografia, “I Am Ozzy”, que estreou em segundo lugar na lista de best sellers do “The New York Times” e que, Segundo rumores, está prestes a ir para as telonas, tendo na produção sua esposa e empresária Sharon Osbourne. Ele também lançou seu décimo álbum solo, “Scream” – fazendo com que uma multidão no “Dodger Stadium” em Los Angeles entrasse no livro dos recordes “Guinness World” pelo grito mais longo em 11 de junho de 2010, além de ser nomeado para receber o Grammy de “Melhor Performance de Hard Rock” com o single “I Want To Hear You Scream”.

Além disso, Osbourne participou como convidado nos álbuns do guitarrista Slash e do rapper Eminem. Ele recentemente apareceu com a sensação teen, Justin Bieber, numa propaganda da “Best Buy” veiculada no “Super Bowl” e emprestou sua voz para um personagem da nova animação “Gnomeu & Juliet”. Entretanto, dado o seu passado sórdido de abuso de substâncias, o auto-proclamado “Príncipe das Trevas” surpreendeu ao escrever uma coluna semanal sobre saúde, chamada “Ask Dr. Ozzy”, no jornal britânico “Sunday Times”, que ocasionalmente é pego pela revista “Rolling Stone” e pode ser compilado para seu próximo livro. 

“Não é sério” fala Osbourne, que sofre da Síndrome de Parkin, uma desordem similar à Doença de Parkinson. “Quer dizer, eu sou a última pessoa a pedir por Socorro. Não sou medico. Eu não sei do que estou falando na maioria das vezes”.

“Mas muito do que eu falo é apenas senso comum. Eu sei que quando você está no buraco, você quer que alguém lhe ajude, e é muito difícil para muitas pessoas pedir ajuda. Então se eles sentem que podem me perguntar, e que eu possa dar alguma informação importante, talvez eu possa ajudar, sabe”?

O que você provavelmente não irá ver Ozzy fazendo num futuro próximo, diz ele, é trabalhar na TV. Apesar de seu incalculável sucesso musical, a grande fama de Ozzy veio do “The Osbournes”, um reality show da MTV que ficou no ar de 2002 a 2005, mostrando o caos da família – seja real ou ensaiado – e a preferência dos Osbournes pela profanação e comportamento alegremente errático, e que fez com que ele e Sharon ganhassem um lugar na lista do “Sunday Times” dos casais mais ricos.

Osbourne já disse que passou quase todo o programa chapado, e após a subseqüente tentativa da família num show de variedades em 2009, “Osbournes: Reloaded”, ele pôs a televisão no retrovisor.

“Eu nunca digo nunca”, explica o pai de seis filhos e duas vezes casado, “mas tenho que ser honesto: eu não sou muito interessado por TV. Aquele lance do ‘Reloaded’, eu não queria fazer. Quando eles acabaram com o programa, graças a Deus, eu fiquei muito feliz”.

“Eu não sou um cara da televisão, sabe? Meu grande lance é música e Rock n’ Roll. Eu sempre me surpreendi pelo fato do “The Osbournes” ter explodido. E para ser honesto com você, ainda não entendo como aquilo aconteceu daquela forma. E as pessoas não tinham a menor idéia que eu estive envolvido com o Rock n’ Roll por toda a minha vida. Elas me paravam nas ruas e perguntavam, ‘o que você está fazendo agora?’, e eu respondia, ‘estou fazendo meu Rock n’ Roll’. E elas falavam, ‘Oh, você também faz isso’”?

“Me impressionou o fato das pessoas só me conhecerem do programa de TV. Eu realmente não não gosto disso”.

“Scream” certamente colocou Ozzy de volta no mapa do Rock n’ Roll. Produzido junto com Kevin Churko e gravado com uma nova banda que inclui o guitarrista Gus G, do Firewind, tomando o lugar do colaborador de longa data Zakk Wylde, o disco mostra Ozzy propositadamente declarando, “eu sou um Rock star” e batendo forte em hinos, como “Let Me Hear You Scream”, “Soul Sucker”, “Fearless” e “Lei It Die”. Ele está feliz com os resultados, mas diz que eles não foram necessariamente planejados.

“Sabe, por toda a minha carreira as coisas mais memoráveis que fiz vieram do nada”, ele explica. “No álbum ‘Scream’ eu não falei, ‘quero que ele soe desta forma, quero que ele soe daquela forma’. Eu posso escutar o Sabbath nele, poso escutar meu lance solo, posso escutar coisas contemporâneas”.

“Ser Ozzy Osbourne já limita bastante o que você pode explorar. Se você tentar ser hábil demais, as pessoas dirão, ‘oh, soa progressivo demais’. Quer dizer, eu não conseguiria ser progressivo se tentasse, mas pessoas como Ozzy têm que soar de uma certa forma, então é isto que damos às pessoas”.

Osbourne planeja continuar gritando pelo verão (Nota do Tradutor: verão do hemisfério norte), com uma turnê norte-americana, seguida por uma apresentação num festival europeu e, provavelmente, um evento do “Ozzfest” nos Estados Unidos. E há mais planos: ele está cooperando com seu filho, Jack, num documentário intitulado “Wreckage of My Past” (N.T.: Foi divulgado ontem que o título foi trocado para “God Bless Ozzy Osbourne”), enquanto outra reunião do Black Sabbath é possível, já que as diferenças legais com o guitarrista Tony Iommi foram sanadas.

“Você não poderia inventar minha história”, fala Osbourne. “Eu vim de uma família muito pobre da classe trabalhadora, e me lembro de ficar sentado à minha porta, pensando, ‘não seria ótima se Paul McCartney casasse com minha irmã?’, e todos estes sonhos bobos que os garotos têm. Eu pensava, ‘deve ser muito legal ser um Beatle’, o que provavelmente é o que todo mundo pensa sobre os Rock n’ Rollers, até hoje”.

“E aqui estou eu. Aconteceu. Então quando as pessoas dizem, ‘quais conselhos você pode me dar?’, eu as digo a maioria dos meus sonhos se realizou, então se você tem sonhos, continue acreditando neles, e às vezes – não sempre, mas às vezes – eles se realizam. Eu garanto”.





BLACK SABBATH COM DIO: REEDIÇÃO DE “DEHUMANIZER” SAI EM 2011

21 12 2010

Enviado por Bernardo Marcondes
Fonte: Guitar Player

O álbum “Dehumanizer” do Black Sabbath ganhará uma edição especial e estendida no dia 7 de fevereiro, via “Universal/Sanctuary”. Além das dez faixas que compõem o repertório original, haverá um segundo CD com material extra (versões alternativas e gravações ao vivo).

Esse foi o último grande trabalho de inéditas da banda britânica. Lançado em 1992, o álbum reuniu a formação que se consagrou no início dos anos 1980, com Ronnie James Dio (vocal), Geezer Butler (baixo), Vinny Appice (bateria) e Tony Iommi (guitarra).

Canções como “Computer God”, “TV Crimes”, “Time Machine” e “I” mostraram que a química entre eles ainda estava viva e em perfeitas condições. Foi, inclusive, com a turnê promocional de “Dehumanizer” que o Black Sabbath veio pela primeira vez ao Brasil, em 1992.

Veja o que terá na reedição do álbum, que também ganhará textos de Dom Lawson, da revista “Metal Hammer”, no encarte:

CD 1
01. Computer God
02. After All (The Dead)
03. TV Crimes
04. Letters from Earth
05. Master of Insanity
06. Time Machine
07. Sins of the Father
08. Too Late
09. I
10. Buried Alive 
 
CD 2
01. Master of Insanity (single)
02. Letters from Earth (lado-B)
03. Time Machine (versão lançada na trilha do filme “Quanto Mais Idiota Melhor”)

Faixas ao vivo (gravadas nos EUA – 25/07/1992):
04. Children of the Sea
05. Die Young
06. TV Crimes
07. Master of Insanity
08. Neon Knights





“SEM REUNIÃO DO BLACK SABBATH EM 2011”, DIZ GEEZER BUTLER

8 12 2010

Fonte: Classic Rock

Geezer Butler revelou que não haverá nenhuma reunião do Black Sabbath em 2011.

Em entrevista ao “Noisecreep”, o baixista comentou sobre os planos da banda se reunir: “Não irá acontecer no ano que vem. Ozzy está em turnê com sua própria banda pelo próximo ano ou coisa do tipo. A idéia de fazer outra turnê do Sabbath sempre aparece. É apenas algo que sempre é mencionado e acontecerá se quisermos fazer. Ainda está muito cedo, entretanto. Tenho certeza de que Ozzy dirá “sim” e “não” em toda semana pelo próximo ano, enquanto está em turnê”.





VOCÊ SABE O QUE É UM MASHUP?

4 11 2010

Por mais que os pervertidos queiram dar um outro significado à palavra “mashup”, na verdade ela nada mais é do que a combinação de dois ou mais vídeos, sem relação nenhuma entre eles, tendo como resultado um novo vídeo. É como se pegassem uma sequência de “Indiana Jones” e uma de “Jurassic Park” e criassem uma nova sequência em que o professor de arqueologia mais fodão de Hollywood se visse rodeado pelos mais perversos répteis gigantes. Legal, não é?

Com a evolução e a democratização das técnicas de edição de imagens e áudio, os mashups hoje são corriqueiros, mas o que interessa a nós é apenas um segmento deste fenômeno: o que trabalha com artistas da música.

O objetivo deste post, na verdade, é mostrar a vocês o que é um mashup e exemplificar usando alguns dos melhores que já encontrei pela net. Confesso que fiquei viciado nisto – é bem divertido!

Prontos? Apertem os cintos de segurança e vamos nessa!

O que vocês acham de pegar o Guns n’ Roses e bater no liquidificador junto com os Beatles? Impossível? Tudo é possível quando os ingredientes são bons e a criatividade anda solta… Confiram “Sgt. Paradise Lonely Heart’s Club Band City” ou “Paradise Heart’s Club City” ou… Ah, vejam a parada aí!

E o que acontece quando o Sabbath e o Zeppelin resolvem tomar uma coisinha juntos?

Que tal juntarmos duas grandes bandas que sofreram do mesmo problema: perderam seus vocalistas para a dona morte.

E se Steve Harris e companhia tiverem a fim de fumar um baseado com Mr. Bob Marley?

Ainda no Maiden, que tal Bruce dando uma palhinha junto com o The Monkees?

Parece que o Kiss resolveu dar uma ajudinha na carreira da rapper Missy Elliot.

E se Kurt Cobain estivesse vivo, será que ele toparia uma participação num show do Europe?

Estes são apenas alguns exemplos, mas se você curtiu, há muito mais por aí – uns bons outros ruins.

Bom, os comentários estão livres para vocês darem suas opiniões, postarem links de outros mashups que achem interessantes, enfim, fazerem o que quiser.





INTEGRANTES DO BLACK SABBATH, DEEP PURPLE E IRON MAIDEN NO ESTÚDIO

29 09 2010

Fonte: Blabbermouth

Em 1989 o guitarrista do Black Sabbath, Tony Iommi, e o vocalista do Deep Purple, Ian Gillan, foram alguns dos nomes em uma longa lista de astros envolvidos na gravação da canção “Smoke on The Water”, do Deep Purple. A música foi regravada para levantar fundos para a população afetada pelo terremoto “Leninakan”, que aterrorizou a Atmênia em 1988.

Em outubro do ano passado, Tony e Ian viajaram para a Armênia para verem como o dinheiro arrecadado havia ajudado a comunidade local. Durante a viagem, eles visitaram uma escola de música e descobriram que ela está funcionando numa acomodação temporária, e que sua sede permanente ainda não foi reconstruída, mesmo 20 anos após o terremoto.

Na próxima semana, Tony e Ian voltarão ao estúdio, junto com o tecladista Jon Lord (ex-Deep Purple) e com o baterista Nicko McBrain (Iron Maiden) para gravar uma nova faixa e arrecadar mais fundos para reconstruir a escola de música.

Em outubro de 2009, Gillan e Iommi receberam o prêmio “Orders of Honour” – que foi entregue pelo primeiro ministro da Armênia, Tigran Sargsyan – através do programa “Armenia Grateful to Rock”. O objetivo do programa foi expressar a gratidão do país pelos músicos que há 20 anos participaram do “Rock Aid Armênia”.