DUFF McKAGAN FAZ PARTICIPAÇÃO EM SHOW DA ADLER’S APPETITE

1 03 2011

Fonte: Classic Rock

O baixista Duff McKagan se juntou ao seu ex-companheiro de Guns n’ Roses, Steven Adler, no palco do “Camden Underworld”, em Londres,  na noite de ontem, 28 de fevereiro.

McKagan tocou duas canções com a banda Adler’s Appetite: “My Michelle” e “It’s So Easy”. “A participação de Duff realmente elevou o nível da noite”, disse um dos presentes no show.

Duff já havia tocado com o Adler’s Appetite no verão de 2007, num show que também contou com a participação do guitarrista original do Guns, Izzy Stradlin. No ano passado, Duff participou de um show do Guns n’ Roses, também em Londres.

Depois eles reclamam dos boatos sobre uma reunião do lineup original do Guns ou, no caso de Duff, declara que se arrependeu de ter feito a participação no show.

Anúncios




GUNS N’ ROSES ORIGINAL PODE FAZER O SHOW DO INTERVALO NO PRÓXIMO SUPER BOWL

11 02 2011

Fonte: Kent Sterling

De acordo com o website “KentSterling.com”, sítio norte-americano especializado em esportes, conversas estão rolando para que a formação original do Guns se apresente em Indianápolis, na final do campeonato nacional de futebol americano. Talvez o Guns n’ Roses seja a única grande banda de Rock n’ Roll cujos integrantes ainda estão vivos, e que nunca tocaram no Super Bowl.

“Após um show fraco no Super Bowl deste ano, com o super-exposto Black Eyed Peas – que contou com as participações de Usher e Slash – a NFL está querendo soltar uma bomba, reunindo Axl Rose, Slash, Izzy Stradlin, Duff McKagan e Steven Adler (ou Matt Sorum), além de Dizzy Reed”, escreveu Kent Sterling, ex-Diretor de Programa da WIBC e dono do site “KentSterling.com”.

“Paul McCartney já fez o Super Bowl, U2 já fez, Rolling Stones, Kiss, The Who, Tom Petty, Bruce Springsteen… Levando em conta que o Clash já não existe (Joe Strummer está morto), o The Police já não existe e a maioria das grandes bandas de Southern Rock já não existe, sobram Justin Bieber e o Guns n’ Roses. E se algum dia Bieber se apresentar num intervalo do Super Bowl, espero estar lá para levar um tiro e parar com o show”, acrescentou Sterling.

O jornalista continua: “Espero que Axl esteja tomando seus remédios e concorde em fazer o show. É sempre uma pena quando grandes bandas deixam que disputas coloquem um fim prematuro em sua criatividade e habilidade em encantar o público. O Guns n’ Roses já passou há muito do seu auge criativo, mas por 12 minutos eu ficaria imóvel em frente à TV para assisti-los detonar”.

Sterling finaliza, dizendo que as conversas ainda estão em estágios iniciais, e podem não dar em nada. “Mas é bom saber que pelo menos alguém está pensando com clareza na NFL”.





“ROCK N’ ROLL HALL OF FAME” PODE REUNIR GUNS N’ ROSES CLÁSSICO

26 01 2011

Enviado por: Bernardo Marcondes
Fonte: Rock em Geral

Informações de bastidores dão conta de que o Guns N’Roses pode ser indicado ao “Rock n’ Roll Hall of Fame” no ano que vem. O grupo só não foi indicado até agora porque, para tanto, é preciso ter completos 25 anos do lançamento do primeiro álbu. Como “Appetite For Destruction” foi lançado em 1987, em 2012 essa exigência passa a ser atendida.

A possível indicação já aponta para a possibilidade da formação clássica da banda – Axl Rose (vocais), Slash e Izzy Stradlin (guitarras), Duff McKagan (baixo) e Steven Adler (bateria) – se reunir, ao menos para a cerimônia de acesso. O problema é que o controle do grupo, hoje, está nas mãos de Axl Rose, o único remanescente da época. Ultimamente, no entanto, Axl fez as pazes com Izzy Stradlin e Duff McKagan, mas continua sem se falar com Slash. Se as conversas de bastidores realmente fizerem sentido, ambos têm um ano para resolver essa parada.





ADLER’S APPETITE LANÇA MAIS DUAS CANÇÕES

28 12 2010

Fonte: Site Oficial do Artista

O Adler’s Appetite, banda liderada pelo ex-baterista do Guns n’ Roses Steven Adler, lançou duas novas músicas vi

a “iTunes” e outras lojas de música digital. As canções se chamam “Stardog” e “Fading”.

A banda entrou em estúdio no mês passado para começar a gravar seu novo álbum, tendo Fred Coury, baterista do Cinderella, como produtor. “Estou bem orgulhoso das novas canções”, diz Adler. “Fred fez um grande trabalho nestas faixas, estamos muito ansiosos para tocarmos este material ao vivo”!

“Estamos muito felizes com a forma que estas canções saíram”, acrescenta Alex Grossi, guitarrista da banda. “Acho que as pessoas que gostaram de “Alive” com certeza irão curtir “Stardog”, e a canção “Fading” um lado mais brando da banda; mal posso esperar para terminar o disco inteiro”.

O Adler’s Appetite tem uma turnê européia agendada para fevereiro de 2011 que passará pela Holanda, Espanha, Itália, Rússia, Portugal, Inglaterra, Irlanda e França.





ADLER’S APPETITE ANUNCIA O LANÇAMENTO DE MÚSICAS NOVAS

17 12 2010

Enviado por: Bernardo Marcondes
Fonte: Território da Música

Parece que o baterista Steven Adler está conseguindo se afastar da imensa sombra do passado com o Guns n’ Roses e prepara o lançamento de material próprio para a próxima semana. O músico anunciou que a banda Adler’s Appetite lançará no dia 24 de dezembro dois novos “singles”.

As novas músicas estarão à venda através de lojas de virtuais, entretanto a banda ainda não forneceu detalhes sobre este novo material. O grupo deu início à gravação de um novo disco no mês passado.

O Adler’s Appetite é formado por Michael Thomas (guitarra – Faster Pussycat), Chip Z’nuff (baixo – Enuff Z’nuff), Rick Stitch (voz – Lady Jack), Alex Grossi (guitarra – Quiet Riot) e Steven Adler (bateria). Em agosto passado o grupo lançou uma música nova chamada “Alive”, que saiu junto com o lançamento da autobiografia “My Appetite for Destruction: Sex, and Drugs, and Guns N’ Roses”.

O novo material tem produção de Fred Coury, baterista da banda Cinderella.

Confira “Alive” abaixo:





ACE FREHLEY, STEVEN ADLER E EDDIE OJEDA JUNTOS NO PALCO

6 10 2010

Enviado por: Raquel Hortmann
Fonte:
Blabbermouth

O guitarrista original do Kiss, Ace Frehley, tocou uma versão da música “New York Groove” no evento “Redemption Song” na noite passada (terça-feira, 5 de outubro) no “Zankel Hall”, Nova York.

Confira abaixo um vídeo da performance, que incluiu participações de Eddie Ojeda (Twisted Sister) na guitarra base e o baterista Steven Adler (Adler’s Appetite, Guns n’ Roses) batendo palmas.





STEVEN ADLER: “AXL, SLASH, IZZY, DUFF E EU SOMOS TODOS IRMÃOS”

11 08 2010

Fonte: Noisecreep

O website “Noisecreep” fez uma entrevista  bem interessante com o baterista original do Guns n’ Roses, Steven Adler, que fala abertamente sobre seus problemas com as drogas, relacionamento com seus ex-companheiros de banda e muito mais.

Confira abaixo com exclusividade a entrevista na íntegra, traduzido para o portugês!

Apesar de todas as peças que a vida pregou em Steven Adler, ex-baterista do Guns n’ Roses, ele permanece para cima e positivo. Enquanto apimenta suas declarações com falas que soam como um homem que lutou muito para se recuperar, Adler assumiu a responsabilidade por suas ações e vícios, e admitiu sua culpa em ter sido expulso da banda que o fez famoso.

Com seu livro, “My Appetite for Destruction: Sex & Drugs & Guns n’ Roses”, que chega às livrarias em 27 de outubro, e com sua banda, Adler’s Appetite, que está atualmente na Estrada, Adler tem muito que fazer. Enquanto as tentações podem bater em sua porta a cada dia, o baterista permanece focado exclusivamente na meta de continuar sóbrio. Uma maneira que ele usa para permanecer forte: olhar para fotos suas, tiradas enquanto estava chapado. Ele também se refere aos seus ex-colegas de Guns n’ Roses como “irmãos”, e fala sobre sua opinião numa sonhada reunião da formação clássica do Guns, dizendo que se todos os cinco se reunissem num quarto, todos chorariam.

Eu acho fantástico que você seja tão pra cima e que tenha um ótimo humor, levando em conta a dura vida que você teve. Como você ainda ama a vida?
Eu amo encontrar todos os fãs e os fãs novos, que fiz ao participar dos programas “Celebrity Rehab” e “Sober House” (Nota do tradutor: reality shows norte-americanos). Há tantos fãs e amigos da “Al Anon” (Nota do tradutor: entidade de atuação mundial de apoio a familiares e amigos de alcoólatras), que me mostraram muito amor, preces e pensamentos! Eu agradeço a todos por isso. É uma grande sensação ter boas pessoas com você, lhe incentivando e rezando por você. Sobretudo, eu não decepcionar a mim mesmo, mas eles me encorajam em não decepcioná-los.

Quando você estava com Howard Stern (Nota do tradutor: radialista norte-americano, conhecido pelo humor escatológico e controverso), realmente fiquei emocionado quando você disse que achava que o GNR havia te decepcionado quando te expulsaram, mas admitiu que aprendeu que foi você quem decepcionou eles. Isto deve ser muito duro de admitir!
Lá estavam eles quatro e eu. A regra de ouro dos bateristas é “bater palmas e pés”, e quando você vive inconsciente, não pode fazer isto com toda a habilidade. Por 20 anos, eu detonei meu corpo, mas estive trabalhando com o Dr. Drew. No começo eu fui ao “Dr. Drew’s Celebrity Rehab” e ele me perguntou se eu queria participar da temporada anterior a que de fato eu participei. Eu ainda não havia terminado de detonar meu corpo. Um ano se passou, ele me perguntou novamente e eu me senti diferente quanto àquilo. Eu estava cansado de estar cansado. Eu quis dar uma chance àquilo, mas não achava que pudesse dar o máximo de mim se não falasse com Slash antes.

Ele então arranjou um encontro entre Slash e eu, sem câmeras. Nós entramos na sala, e eu tive a oportunidade de me desculpar por todas as minhas falhas, por meu emprego na banda, por todas as drogas. Eu pude me desculpar por culpá-lo. Eu pude dizer, “não foi você, fui eu”. Foi um grande peso que saiu das minhas costas. Eu pude começar a seguir em gente com minha vida. Após 35 anos me destruindo, leva um tempo para o corpo e a mente se curarem. Eu fiz o programa, fiz o “Sober House” e quando apareci, estava chapado em heroína. Fui preso, e então, quando me soltaram, me fizeram assistir (o programa), e eu vi quão terrível estava e isto foi devastador para mim. Quando você usa drogas, elas fazem você achar que é a pessoa mais bonita do mundo e que está no topo. Então eu vi a fita e quis nunca mais olhar para aquilo. Se há alguém que você ama e se importa tendo problemas com drogas, mostre a ela uma filmagem dela chapada.

Onde você está agora com sua sobriedade?
Eu tive quatro ou cinco recaídas em dois anos, e estou sóbrio há quase seis meses agora. As recaídas fazem parte da recuperação: eu levanto e sigo em frente novamente. Seis meses atrás eu tive uma recaída numa droga que nunca havia tomado: oxycontin. Foi uma péssima decisão, e duas semanas depois minha esposa tirou fotos minhas e me mostrou. Eu estava desmaiado no corredor de minha casa. Eu olhei para aquilo, liguei para Slash e para o Dr. Drew e perguntei, “vocês podem me ajudar?”. Gostaria de percebido há 20 anos que tinha as melhores pessoas comigo. Eu tive um derrame suave, que afetou a minha fala. Foi como se tivesse que voltar ao jardim de infância para aprender a falar novamente: eu tinha problemas com os “S”. Eu fui preso durante o programa, o que foi a melhor coisa que me aconteceu.  Você pode achar que é a pior coisa, mas depois de passar 35 anos me destruindo, leva tempo até ser curado. As opções eram ir para a cadeia por um ano – e eu já estive lá e não quero voltar – ou passar 90 dias na reabilitação, que foi minha escolha. Na reabilitação, cada minuto é como uma hora… até você perceber que tem uma boa cama. É quentinha e confortável; eles te dão três refeições por dia, e você escuta palavras encorajadoras. Quando estava drogado, não comia nem dormia. 

Quão difícil foi colocar tudo isto em seu livro?
No meu livro, eu falo de quando fui abusado sexualmente por um homem mais velho, e eu tinha mantido isto Escondido dentro de mim. Trabalhar com Dr. Drew… foi uma das muitas coisas que eu mantive dentro de mim. Achava que se dissesse aquilo alto para as pessoas ouvirem, elas pensariam mal de mim ou me sentiria mal comigo mesmo. Mas foi o contrário: eu falei com as pessoas que conseguiram se identificar e pude tirar isto do meu sistema. Eu percebi que achava que os caras da banda haviam me expulsado, mas eles não o fizeram. Eu me expulsei. Eu os culpei por 20 anos por todas as minhas quedas, especialmente Slash, porque tínhamos uma história juntos. Eles não me decepcionaram, eu que os decepcionei. Quando eles me expulsaram, eu tinha duas direções: cuidar de mim e voltar para a banda ou continuar com as drogas. Eu me afundei nas drogas e passei a culpá-los.

Quando terminar esta turnê, chegarei em casa, construirei uma grande fogueira, jogarei eu livro no fogo e deixarei o passado para trás. Não posso mudá-lo, nem voltar atrás – e nem quero voltar atrás. Quero seguir com meu futuro. Em 15 anos posso escrever outro livro.

Você disse que consertou as coisas com Slash. E quanto a Axl?
Eu amo Axl! Slash, Axl, Duf, Izzy e eu somos todos irmãos. Axl e seus advogados não conseguem apagar o que tivemos. Enquanto estivermos vivos, teremos isto. Nós somos irmãos, e o que irmãos fazem? Brigam. Eu posso não gostar deles todo o tempo, mas eu sempre os amarei. Espero que todos eles leiam isto, especialmente Axl. Que coisa especial nós tivemos! Nós estaríamos todos nos abraçando e chorando se estivéssemos juntos numa sala. Nós ainda estamos nos afastando uns dos outros. Nós tivemos algo especial, então vamos aproveitar isso. Poderíamos ser ainda maiores! Não tocamos juntos há 20 anos, seria o maior acontecimento de todos os tempos. Não são muitas pessoas que podem dizer isso. Se Sting e o The Police conseguiram fazer (uma reunião)… Deixe eu te dizer: eu conheci Sting e ele é um filho da puta muito maior que Axl um dia pensa em ser. Se ele pôde fazer com sua banda, então nós também podemos sem problemas. Ainda nos amamos. Nós somos irmãos imbecis e temos que acabar com essa picuinha.

Por último, gostaria de saber como você mantém esta sua personalidade tão positiva? Ela é contagiante.
Eu não me matei e, acredite em mim, eu tentei. É mais fácil se mutilar do que se matar. Eu não morri. Os médicos disseram que eu era bipolar, mas eu não era bipolar: eu estava chapado em cocaína! Eu amo tocar, e isto significa tudo para mim. A única razão para eu ainda estar vivo é que porque Deus tem algo maravilhoso guardado para mim. Eu acredito nisso, e finalmente estou vendo isto.