WHITESNAKE LANÇARÁ SHOW DE 1990 EM CD E DVD

30 03 2011

Fonte: Classic Rock

A banda de David Coverdale, o Whitesnake, lançará em CD (duplo) e DVD, no dia 3 junho, via “Frontiers Records”, a apresentação que o grupo fez no festival “Donington Monsters of Rock” em 1990, ano em que foi a atração principal do evento. 

O set list do DVD é:
1. Slip Of The Tongue
2. Slide It In
3. Judgement Day
4. Slow An Easy
5. Kitten’s Got Claws
6. Adagio For Strato
7. Flying Dutchman Boogie
8. Is This Love
9. Cheap An’ Nasty
10. Crying In The Rain (featuring Tommy Aldridge drum solo)
11. Fool For Your Loving
12. For The Love Of God
13. The Audience Is Listening
14. Here I Go Again
15. Bad Boys
16. Ain’t No Love In The Heart Of The City
17. Still Of The Night
18. Bonus: Documentário sobre a produção do álbum “Slip of the Tongue”, além de uma slideshow.

O CD terá o mesmo tracklist, mas será divido em dois discos.





CONFIRA TRAILERS DO NOVO DVD DO AC/DC

17 03 2011

Fonte: Blabbermouth

No dia 10 de maio será lançado “Live at River Plate”, CD e DVD ao vivo do AC/DC, que captura a banda em ação na capital argentina, durante a “Black Ice World Tour”. Gravado em dezembro de 2009, durante uma série de três shows que o grupo australiano fez em Buenos Aires, e contando com 32 câmeras filmando em HD, “Live at River Plate” traz 19 faixas (totalizando 110 minutos), além de imagens de bastidores.

O trabalho será disponibilizado em DVD, Blu-ray e numa edição limitada de colecionador que trará uma camiseta exclusiva. O material bonus de “Live at River Plate”, intitulado “The Fan, The Roadie, The Guitar Tech & The Meat”, trará entrevistas com a banda, sua equipe e fãs.

Tracklist:
01. Rock N Roll Train
02. Hell Ain’t A Bad Place To Be
03. Back In Black
04. Big Jack
05. Dirty Deeds Done Dirt Cheap
06. Shot Down In Flames
07. Thunderstruck
08. Black Ice
09. The Jack
10. Hells Bells
11. Shoot To Thrill
12. War Machine
13. Dog Eat Dog
14. You Shook Me All Night Long
15. T.N.T.
16. Whole Lotta Rosie
17. Let There Be Rock
18. Highway To Hell
19. For Those About To Rock (We Salute You)

Bônus:
* The Fan, The Roadie, The Guitar Tech & The Meat
* AC/DC Tour Animation

Confira abaixo os trailers de divulgação de “Live at River Plate”:





AC/DC LANÇARÁ CD E DVD AO VIVO EM ABRIL

22 02 2011

Fonte: New Musical Express

Brian Johnson, vocalista da banda australiana, revelou em entrevista à “Oversteer TV”, programa sobre automobilismo, que o AC/DC lançará dentro de seis semanas um pacote com CD/DVD contendo imagens dos três shows que fez na Argentina em dezembro de 2009. A banda filmou as três apresentações em Buenos Aires, no estádio do River Plate, onde tocou para um público de mais de 60 mil pessoas em cada show.

Johnson falou: “Temos um novo álbum ao vivo que foi gravado na Argentina, no final da última turnê. O disco ao vivo, junto com o vídeo, sai em cerca de seis semanas ou algo do tipo. Então estou ansioso por isso”.

“Após este lançamento, não fizemos nenhum plano”, disse. “Apenas queremos descansar um pouco, porque ficamos na estrada por dois anos. Tocamos para 5 milhões de pessoas e merecemos um descanso”.

O novo álbum será o sexto disco ao vivo do grupo. O último lançamento deste tipo foi o “Let There Be Rock: The Movie – Live in Paris”, lançado em 1997.





“O VOCALISTA COM QUEM ESTAMOS ANIMADOS É BEM CONHECIDO”, DIZ MATT SORUM

13 01 2011

Enviado por: Bernardo Marcondes
Traduzido por: IMPRENSA ROCKER
Fonte: Noisecreep

O website “Noisecreep” conduziu um extensa entrevista com o baterista do Velvet Revolver e ex-Guns n’ Roses Matt Sorum. O músico falou, dentre outros assuntos, sobre o DVD do Velvet Revolver, novo vocalista  e planos para o futuro.

Confira a entrevista completa, em português, com exclusividade no IMPRENSA ROCKER! 

Em 2008 o Velvet Revolver – um híbrido de ex-Guns n’ Roses/Stone Temple Pilots – perdeu o controle quando o vocalista Scott Weiland deixou o grupo depois de apenas dois álbuns. Considerando que mais de dois anos se passaram e que não muita coisa aconteceu neste período, o baterista Matt Sorum parece estar até bem animado. Ele nem ao menos se importou quando o guitarrista Slash deu uma escapada para fazer um disco solo e saiu em turnê antes que um substituto para Weiland fosse encontrado. Ao invés de se lamentar, Sorum foi direto ao assunto, colocando as coisas em seu devido lugar para o Velvet Revolver versão II.

A banda já testou vários cantores e está perto de anunciar o substituto de Weiland, de acordo com Sorum. Assim que isto acontecer, eles irão para o estúdio para trabalhar no sucessor de “Libertad”, de 2007. Mas antes disso, ele e seus companheiros de banda querem lembrar os fãs a respeito de seu recente DVD “Velvet Revolver Live in Houston”, que captura um show de 2005, quando o VR era novo e tinha algo para provar.

O “Noisecreep” conversou com Sorum sobre a decisão de lançar um DVD com um show de cinco anos atrás, seu desapontamento com relação ao “Libertad”, como a banda se desgastou com Weiland, o que ele busca para o próximo álbum do Velvet Revolver e quão difícil é escolher um novo vocalista quando você já trabalhou com três melhores que há por aí.

O que você se lembra do show de Houston que vocês gravaram em 2005 para o novo DVD?
O que eu mais me lembro sobre aquele período da banda é que era uma novidade excursionarmos juntos. Havíamos acabado de iniciar uma turnê em teatros antes de tocarmos em locais maiores. O álbum havia sido lançado; já tinha entrado nas paradas, no nº 1; recebeu disco de platina. Estávamos pegando fogo. Havia muita excitação no ar. Estávamos todos em ótima forma física e psicológica. Todos estávamos num ótimo momento e definitivamente tínhamos uma química. E você consegue ver isso. Isto pula para fora da tela no DVD.

Por que vocês esperaram tanto tempo para lançar o DVD?
Nós nunca pensamos em lançar por nós mesmos. Alguém da “Eagle Rock” veio e nos perguntou se gostaríamos de lançar este show em DVD. Tudo que estávamos pensando era voltar com uma nova versão da banda. Mas então achamos que seria bom soltar alguma coisa que representasse aquela era da banda em sua melhor forma.

De onde surgiu o vídeo?
Nós filmamos para algum especial de TV ou algo do tipo, e a “Eagle Rock” veio até nós e perguntou, “podemos lançar isto”? E decidimos que seria totalmente legal, porque, como eu disse, nós não queremos  destruir o que já criamos com Scott Weiland. Então entramos em contato com Scott e perguntamos, “você está de acordo?”, e ele disse “sim, vamos fazer”.

Então você ainda mantém contato com Weiland?
Nós temos uma relação profissional para os assuntos do antigo Velvet Revolver, mas isso é tudo.

Houve um atrito entre você e Scott antes dele sair da banda?
Na verdade, não. Scott apenas apareceu e quis fazer o lance dele, e não acho que todos nós entendemos na época. Realmente tivemos um pequeno desentendimento. Tínhamos acabado de sair de uma turnê monstruosa, passamos muito tempo trabalhando no segundo álbum, haviam alguns conflitos na banda e, infelizmente, todo aquele velho comportamento negativo rastejou pra dentro da banda novamente.

É mais ou menos como quando você está num relacionamento e pensa, “ah, vou terminar com esta pessoa, porque não gosto do que estou sentindo”. E então você entra num outro relacionamento, e a mesma merda aparece. Você fica, “oh, talvez seja eu. Talvez seja eu que tenha que lidar com alguma merda”. Este é o tipo de coisa que estava realmente acontecendo no fim. Haviam substâncias envolvidas, mas também personalidades e egos da parte de todo mundo.

Eu não estou me tirando da equação. Você fica cheio de si e começa a se sentir invencível e você se lembra como é bom se sentir assim. Nada dá errado quando você Está numa banda de Rock n’ Roll. Se um ator detona seu carro, sua carreira termina. Um músico detona seu carro, ele vende um milhão de discos. Por exemplo, Scott sendo preso e indo para a reabilitação as tantas vezes que ele foi… Eu já estava meio que, “já é o suficiente. Nós entendemos. Você provou seu ponto”. Eu ficava, “cara, a melhor coisa que você poderia ser agora é aquele cara que aparece brilhando. Então você seria o azarão que, de verdade, mostrou que todos estavam errados”.

E este foi o momento que tivemos no começo do Velvet Revolver. Tínhamos Scott Weiland no auge. E você olha para aquilo e diz, “gostaria que ele percebesse o quão bom ele pode ser com um pouco de foco. Porque ele pode ser um dos melhores”. Mas é a falta de foco que fode artistas como ele.

O que levou ao fim do relacionamento?
Eu disse algo na internet sobre como algumas pessoas não percebem o que têm, enquanto têm, porque estar numa banda é um momento, e é um momento efêmero. Aqui está você, no auge – como no DVD em Houston. Você está lá, todos amam você, e então você já não está mais lá. Você já era.

E todos nós já sentimos isto neste negócio, especialmente vivendo em Hollywood. Esta é a cidade do “o que você fez ontem”. E eles não ligam. Eu não ligo quantas vezes você voltou, como uma barata. Eles irão pisar em você, e você não vai morrer, mas você ainda tem que retornar e brigar para voltar ao topo. Eu gosto desta briga, mas a maioria das pessoas não consegue encarar esta briga. Elas não conseguem vencer. Elas preferem ficar sentadas no porão da casa da mamãe, na internet, e detonar todo mundo.

Então agora o foco é o Velvet Revolver 2011 em frente a todo vapor?
Yeah! Nós realmente vamos fazer de 2011 um novo período para o Velvet Revolver.

Como tem sido o processo de audições?
Nós testamos muitos caras novos, e basicamente é um processo e tanto. Scott Weiland é um dos melhores frontman por aí, e eu já estive em bandas com Axl Rose e Ian Astbury. É um cargo e responsa. Então estamos procurando por um indivíduo experimentado e verdadeiro, que possa se entrosar com caras como nós, que já têm estado por aí por muito tempo.

Não tem sido uma tarefa fácil, e é por isso que está demorando tanto. Mas nós não queremos voltar com meia força. Nós queremos criar algo que faça as pessoas dizerem, “uau, isso é demais”! Tivemos algumas situações em que estivemos com alguns cantores, mas desistimos porque não nos sentimos completamente seguros que seguir com determinado cara era o movimento certo.

Testamos alguns caras desconhecidos e outros que já estão por aí, mas o cara que com quem estamos bastante animados agora é bem conhecido. Não quero dizer nada ainda, porque ainda estamos na fase dos encontros. Ainda não consumamos o relacionamento ou fizemos um acordo de cavalheiros. Então não posso adiantar nada até termos um selo oficial de aprovação no acordo.

Você e Slash já escreveram algum material para o próximo álbum?
Sim, temos algumas músicas. Temos alguns ótimos riffs. Estamos tentando lapidá-los um pouco mais, mas há algumas coisas ótimas. Eu diria que provavelmente temos cerca de quatro ou cinco boas apostas, com letras, para coisas que me deixariam felizes num disco. É definitivamente matador. Mas, ao todo, ainda não temos música o suficiente, porque iremos entrar no estúdio e fazer.

A beleza de se estar numa banda com estes caras por tantos anos é que sabemos o que temos para oferecer. Então não temos que “pré-pensar” muito. Mesmo que possamos aliviar com baladas e tocar em outros estilos, nós estamos bem confortáveis sendo uma unidade Rock n’ Roll. Nós não precisamos fazer de nós algo que não somos. Neste sentido, somos tradicionais.

De que forma o próximo disco será diferente do “Contraband” ou “Libertad”?
“Contraband” tinha um elemento meio Punk Rock. Quando o escuto, sinto que há muita angústia nele. Quando eu fazia aquele disco, eu não era um recém sóbrio, mas estava sóbrio há pouco tempo. Lembro que ainda estava tentando me sentir confortável na minha própria pele. E esta angústia acabou sendo útil para nós.

Há uma energia que diz, “Estes caras ainda têm muita vitalidade dentro deles”. E quando eu ouço o “Libertad”, sinto que aquele álbum e algo que não éramos na época. Puxou mais para o lado do vocalista da banda. Scott queria fazer um certo tipo de álbum, então “Libertad” se tornou mais o lance dele. O “Contraband” já estava escrito antes de Scott entrar em cena. Ele apenas gravitou em direção ás canções e escreveu as letras e melodias. O “Libertad” foi um álbum baseado no que suas letras e visões eram, e saiu um pouco leve.

Parece que o seu próximo álbum pode ser mais como o “Contraband”?
Bem, esta é a meta e eu sei que estamos bem animados quanto a isso. Esta é a beleza dos caras desta banda. Posso olhar para cada um deles, e sei que eles possuem paixão suficiente para fazer música e que ainda resta força suficiente. De certa forma, ainda temos algo para provar. É mais sobre superarmos nós mesmos e tentarmos ser os melhores que podemos.

A meta agora é voltar a nos reunir, neste mês, e nos decidirmos sobre o vocalista. Slash irá terminar sua turnê no começo do verão, e então espero que até lá já tenhamos várias canções compiladas. Todos trabalhamos sozinhos, enviamos as idéias uns aos outros e trabalhamos juntos quando há intervalos. E talvez tiraremos mais algumas semanas para escrever, entrar no estúdio e gravar o álbum no fim do verão, para lançá-lo no fim de 2011. Estou ansioso para isto. Todos tivemos tempo suficiente para sair e viver outras vidas, nos aventurarmos, e retornar organicamente como uma unidade que quer fazer as coisas novamente.

Foi saudável para a banda Slash ter feito seu disco solo, ou vocês ficaram frustrados porque prefeririam trabalhar com ele no Velvet Revolver?
No começo eu me senti frustrado, mas então eu entendi onde ele estava e me coloquei em seu lugar. Ele sempre foi ótimo líder. Em se tratando de ética no trabalho, Slash é um dos caras que trabalham mais duro que conheço. Ano passado, você não podia ligar a TV sem vê-lo. Sim, para ser honesto. Mas ele precisava fazer este lance solo novamente e voltar para uma banda, e sentir o ambiente, que é completamente diferente. Agora já não está tudo sob os ombros dele, e eu acho que aquilo só pode ser bom para nós.





PEARL JAM ANUNCIA MAIS DETALHES DA COMEMORAÇÃO DE 20 ANOS DE BANDA

7 01 2011

Enviado por: Bernardo Marcondes
Fonte: G1

Em nota publicada em seu site oficial nesta quarta-feira, 5 de janeiro, o Pearl Jam deu sinais de que 2011 “será um ano com muita celebração por causa dos 20 anos de história” do grupo americano, que integrou a cena Grunge de Seattle nos anos 90. O aniversário da banda liderada pelo vocalista Eddie Vedder vai ter relançamentos, filme dirigido por Cameron Crowe e festival.

As celebrações começam ainda neste mês, com o disco “Live on Ten Legs”, que reúne 18 músicas gravadas entre os anos de 2003 e 2010. O disco estará disponível em MP3, CD e numa edição de luxo, que inclui dois discos de vinil, quatro minipôsteres de shows da banda e fotos dos integrantes tocando ao vivo.

Ao longo do ano, o Pearl Jam vai lançar novas edições caprichadas dos discos “Vs.” e “Vitalogy”. O grupo também vai estrelar documentário dirigido por Cameron Crowe (do filme “Quase famosos”), com direito a lançamento da trilha sonora do filme. Há também a previsão de turnê comemorativa e de um festival.





GUITARRISTA DO MOTORHEAD DESCONTENTE COM FILME SOBRE LEMMY

22 12 2010

Fonte: Classic Rock

Falando com a “Radio Metal”, Phil Campbell disse: “Eles passaram três anos me seguindo e seguindo Mikkey (Mikkey Dee, baterista) por todos os lados… Três porras de anos nos seguindo, e a maior cena comigo sou eu indo dormir assistindo “Family Guy” na TV! O filme é sobre Lem, mas isto é realmente insultante para nós. Bando de filhos da puta”!

“Lemmy The Movie” será lançado em DVD e Blu-ray no próximo mês.





RAIMUNDOS LANÇA VIDEOCLIPE DE “JAWS”.

2 12 2010

Enviado por: Ícaro Vasconcelos

O Raimundos é uma das mais renomadas bandas de Rock do Brasil, e ao longo de sua carreira lançou vários sucessos. Muitos destes sucessos possuem letras irreverentes sobre situações vividas por seus integrantes, já outros eram mais voltados para o lado social, mas sempre com uma pitada de humor.

Em 2010, com Digão (vocal e guitarra), Marquim (guitarra), Canisso (baixo) e Caio (bateria), os RAIMUNDOS lançaram no ultimo dia 17, pela rádio “KissFm”, uma música inédita intitulada “JAWS”.

Agora a banda lançou o videoclipe da música em questão pelo site “Globo.com”, que pode ser conferido abaixo.

“Jaws” estará presente no repertório do DVD “RODA VIVA”, que será gravado dia 18 de dezembro deste ano, no “Kazebre”, em São Paulo.