LUZ NO FIM DO TÚNEL – 6ª EDIÇÃO

21 02 2011

Por: Roberto A.

Banda: And You Will Know Us By The Trail Of Dead
CD: Tao Of The Dead

Antes de mais nada, uma soberba semana aos fiéis navegantes deste sítio do caralho, com muitos momentos bacanas, cervejas bem geladas e, obviamente, algum sexo, rs. Estou prestes a vos apresentar um discaço – daquelas descobertas que me faz ficar rindo sozinho feito bobo, com o pod no volume máximo, incomodando parceiros aqui no trampo. E mesmo no carro, é daqueles CD’s que você fica ouvindo por dias, incrédulo no que sai pelos fones de ouvido.

É uma banda legitimamente ROCK N’ ROLL, com músicas fantasticamente distorcidas, bem elaboradas e, melhor ainda, esquisitas, estranhas – pra complicar um pouco, com apelo Pop, melodias, lances modernos embutidos (quanto mais difícil de definir, mais eu gosto). Mas enfim, com esta banda, é (quase) certo que Sephi vai ficar de cara, como eu fiquei. Os sujeitos conseguiram mixar a morbidez do Nirvana, com a pegada do Pixies, o descompromisso do Guns n’ Roses, com a modernidade do Radiohead – claro, tudo isso são apenas referências rápidas, no que eu pude mencionar, mas é um trabalho muito perspicaz, emocional, e original.

O bando atende pelo nome “And You Will Know Us By The Trail of Dead”, em bom portuga: “E Você Vai Nos Conhecer Pelos Rastros dos Mortos”. São artistas daqueles que passamos a gostar de imediato, luz no fim do túnel de fato.

Clique aqui para baixar o CD.

Começamos com “Introduction: ‘Let’s Experiment’”. Começo animal, um crescendo hipnótico com guitarras loucas, bateria na cara e ruidozinhos bem colocados, dando pistas do que está por vir nesse CD irado. “Pure Radio Cosplay” vem colada com guitarras muito bem timbradas, num lick que lembra “jumping jack flash” do Rolling Stones, mas que logo descamba numa porrada distorcida estranha e bacana, onde o vocal vomita com fúria e comoção. Urgência, tensão e beleza definem esta faixa. Na sequência temos o “verão de todas almas mortas”, ou “Summer Of All Dead Souls”, paulada das mais interessantes, com um riff de guitarra matador, e um lick esperto, tudo coberto por camadas de distorção e bom gosto. Gruda no ouvido à primeira audição. Eu falo pra vocês, esta é uma banda que vale a pena ficar fã – aumente mais um pouco o volume nesta. Bonitos violões surgem também no decorrer da música. Dando sequência com “Cover The Days Like A Tidal Wave”: batida trivial, melodicamente espetacular, timbres antagônicos de guitarra que me fizeram ter vontade de voltar a estudar o instrumento, e tudo pra logo no primeiro minuto entrar uma massa sonora sônica, esporrenta distorcida, estranha e bonita – como eu gosto. Nessa altura do CD, vocês já deverão ter sacado que uma faixa é colada à outra, numa combinação perfeita. Seguimos com “Fall Of The Empire”, sombria, lenta, soturna, e interessante. “The Wasteland” nos leva para galáxias próximas, e funcionaria muito bem durante uma caminhada num dia ensolarado – faixa colorida, de pegada contagiante, refrão matador e Pop, e tudo com o drive colado no dez, e com uma linha de baixo muito bem sacada e timbrada. “Weight of The Sun” poderia tranquilamente figurar entre minhas favoritas, mas num disco tão bom como este fica complicado eleger melhores (que refrão espetacular!). Melodia muito bem colocada pelo ótimo vocalista, num arranjo muito bom e riffs estupendos, como há muito tempo eu não ouvia. “Ebb Away” traz alguma calmaria após tantas canções animais, mas não pense que acabou-se a distorção e melodias Pop. Esta é uma canção grudenta e ótima. Em “Somewhere Over The Double Rainbow” (ou The Fairlight Pendant, conforme a versão)… Meus amigos, que final apoteótico para uma canção, concorda Gabriel? Atentem para a qualidade dos timbres de guitarra, baixo, bateria, e no cuidado da produção deste CD. Fechando este disco de alto nível, uma canção ímpar como “Strange News From Another Planet”, magnífica, com ênfase melódica, vocais muito bem sacados e guitarras viris. Poucos discos trazem uma última canção que poderia ser single, ou a primeira.

Esta é uma bolacha que tenho (quase) certeza que irá agradar a maioria dos rockers antenados e de cabeça aberta, e trará mais alegria aos nossos dias, em que somos bombardeados por artistas de qualidade discutível. Esta banda que apresentei neste post é uma pérola não lapidada.

ABRAXXXXXXXXXXXXXXXX


Ações

Information

18 responses

21 02 2011
Gabriel Gonçalves

Fala, Robertão! Achei legal a banda – nada fenomenal, em minha opinião, mas muito boa sim. Curti especialmente “The Wasteland” e “Ebb Away”, e a épica de 16 minutos, “Strange News From Another Planet” é bem interessante também. A capa do álbum é maravilhosa! Uma das melhores capas dos últimos tempos. Abração, meu velho!

21 02 2011
Helton

Escutei pelo myspace… algumas passagens me lembraram Deep Purple… vou baixar o cd e escutar melhor… mas gostei!!!

21 02 2011
Roberto A

Valeu Helton, esse é um download que com certeza compensará. puta cd!
ABRAX

21 02 2011
Rodrigo A.

Semana soberba! rs!!

21 02 2011
Rodrigo A.

Acompanhado com uma loura gelada!

21 02 2011
BERNARDO

BOMBA!!!

+NEWS:

‘É o cara certo’, diz baixista sobre Corey Taylor no VR
Duff McKagan já escolheu o novo vocalista

http://www.rockemgeral.com.br/2011/02/21/e-o-cara-certo-diz-baixista-sobre-corey-taylor-no-velvet-revolver/

Minha opinião , muito bom vocalista mas ele já tem o Slipknot e Stone Sour..
Poderiam ter dado oportunidade ao grande Franky Perez! Esse cara tem um futuroi brilhante pela frente. Para se consagrar de vez , nada mais justo que entrar em um grupo famoso como o Velvet Revolver (ex-gunners)

21 02 2011
Gabriel Gonçalves

Fala, Bernardo! É… Duff deu o voto dele, e o fato dele ter o feito em público é um sinal de que é questão de tempo até o cara ser efetivado oficialmente. Abração, meu velho, e valeu pela notícia. Abração!

21 02 2011
Renato Pina

Bom, começando pela capa: trabalho muito bem feito, os caras se preocuparam em passar uma boa imagem desde o primeiro instante, capa belíssima.

Música: acredito que eu e o Auad chegamos à um impasse, eu não gostei dessa banda, acho que eles tem um mega potencial, uma gama enorme de criatividade, mas pecam em colocar tudo que eles tem na mente em uma música só, poucas se salva desse CD. Falta uma coisa pra eles: minimalismo. Mais é menos. Muitas das músicas começam muito boas e terminam sujas e confusas, deixando meu ouvido atordoado, sem entender o que eles queriam passar com tal música, a não ser que eles realmente queiram passar que o som deles é composto por um milhão de distorções, um milhão de melodias, mas totalmente sem identidade e sem uma melodia cativante.

Para salvar esse CD eu elejo, “The Wasteland” e “Weight Of The Sun” como as melhores, pois nessas eu consegui notar a genialidade dos caras e a vontade deles de deixar a música presa no nosso cérebro por décadas, são músicas muito bem trabalhadas, com as harmonias e melodias encaixando umas nas outras, dando a tão ausente continuidade, aonde as outras músicas poderiam se embebedar.

No mais, uma banda muito cativante, uma boa dica do Roberto “auad” para todos os visitantes desse site.

21 02 2011
Gabriel Gonçalves

Tenho uma opinião parecida com a sua, Renato. Os caras têm muito talento e criatividade, mas o fato deles tentarem colocar todas as idéias numa música só, acaba jogando contra. Às vezes, voce tem que abrir mão de certas idéias em prol de outra. Usar tudo pode estragar. Abração, cara!

21 02 2011
Roberto A

Nesse ponto concordo com Sephi, e Gabriel, do lance de colocarem muitos elementos e tal, mas sim, desde já creio que esse é um dos discos do ano, peço a ambos que novamente o escutem, e putz Sephi, revelando minha identidade secreta…rs
ABRAX

21 02 2011
Gabriel Gonçalves

Pode deixar, Robertão. Vou escutar novamente, sim. Abraço, meu velho!

22 02 2011
Roberto A

Uma participação mais efetiva dos leitores é fundamental para que a seção prossiga.

ABRAX

23 02 2011
bruno coringa

“…morbidez do Nirvana, com a pegada do Pixies, o descompromisso do Guns n’ Roses, com a modernidade do Radiohead…” lendo um post assim, da vontade de comprar o cd logo, ao invés de baixar… melhor que comercial de camisinha, segurança e prazer total !

23 02 2011
Gabriel Gonçalves

rsrsrsrs… É verdade, Bruno. O Robertão achou o álbum fantástico, já eu não curti portanto sugiro baixar primeiro para conhecer. Abração, cara!

23 02 2011
Roberto A

Baixe ae Brunão, meu velho amigo, e poste vossas impressões!
Gabriel, mudou de idéia? e quanto ao “Achei legal a banda”
ABRAX

23 02 2011
Gabriel Gonçalves

Não, Robertão! Realmente achei legal a criatividade e a execução da trupe, mas como disse antes, achei que poderiam ter simplificado mais – sem contar não é muito meu estilo. Abração, meu velho!

25 02 2011
Filipe

Muito legal o som dos caras, é sempre bom ter algo novo e de qualidade pra se ouvir e variar das antigas

27 02 2011
Gabriel Gonçalves

Fala, Filipe! Que bom que curtiu da indicação, meu velho. Volte sempre, que toda semana indicaremos um novo som. Abração, cara!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: