LUZ NO FIM DO TÚNEL – 4ª EDIÇÃO

8 02 2011

Por: Roberto A.

Banda: Arafel
CD: For Battles Once Fought

A Priori, desejo uma semana bacana a todos boys and girls que frequentam este sítio do barulho. Vamos nós para mais uma edição da “Luz no Fim do Túnel”, a seção para quem (ainda) acredita no poder que a boa música tem, e para quem bota fé que (ainda) existem artistas que fazem a diferença no oceano de lixo que a mídia insiste em nos empurrar. Ok, mas para que esta seção prospere e prossiga, acho saudável que nossos amados leitores comecem a participar e comentar mais, para dar mais ênfase e sentido em tudo isto.

Eu, em minhas eternas pesquisas sônicas, ouço muito de tudo, e das vertentes do Rock, vou em todas. Confesso que Metal nunca foi meu estilo favorito, mas sim, há muitas bandas e diversos CD’s nesse estilo que eu aprecio, e muito. E pro deleite dos amantes do som pesado, esta edição apresenta uma banda espetacular – um disco sublime de Folk Death Metal: os caras Arafel.

Pra mim já estava meio enraizado o lance de que os discos Metal e Thrash seguiam meio que uma cartilha, aquela porradaria ininterupta, bateria seca, as mesmas distorções de sempre, gritaria incessante e coisa e tal – o Metal tem muitos e muitos clichês. Mas ouvindo esta rapaziada voltei a me entusiasmar com o gênero. Arafel chuta os clichês pra longe e dá um frescor de energia e vitalidade ao Metal. Baixe a bolacha e acompanhe a resenha.

Clique aqui para baixar o álbum.

Começamos com “Sword’s Hym”, épico pauleira, estilo filme – foda início de um disco matador! Vozes operísticas, sons de cavalo e o coice começa. Velocidade absurda, mas o que mais impressiona é a qualidade da produção: timbres maravilhosos de guitarra e bateria, o que é uma raridade nos discos Metal recentes, além de vocal límpido e audível – outro lance raro. Tudo muito bem sacado, produzido, e timbrado. Simlesmente de tirar o fôlego. Riffs assombrosos, enfim, uma baita música.

“Kurgan”, a posterior, traz um elemento não muito usado no Metal: melodia, e muito bem colocada. Guitarras duelando lindamente, peso do bom, bateria demolidora, essa vem diretamente do game “Doom” para as nossas cabeças. Vocal declamando furiosamente, mas de forma cadenciada e limpa, e uns lances gregorianos, creio eu, fazendo diferença nos arranjos. Som animalesco.

“The Siege” traz violões limpos no começo, pra logo distorções demolidoras terem vez – reparem nos harmônicos feitos pelas guitarras. Muito bom! Empolgante pancadaria sonora, com destaque guitarrístico e vocal vomitado em decibéis razoáveis. Difícil ficar indifetente a um som destes, logo você está batendo a cabeça ou saltando.

“1380 – The Confrontation” lembra o Iron Maiden no comecinho, mas logo depois manda qualquer semelhança pras cucuias. A canção tem uma personalidade toda própria, irada, e viril, e talvez seja minha preferida no álbum (pelo menos neste momento). Complica eleger uma favorita num disco todo bom, como este, mas “1380…” é foda. Um tapa na cara, perfeita pra acordar bêbados que viraram a noite na gandaia com o volume colado no máximo. Que pratos nítidos da batera nessa faixa… Bem legal MESMO!

A próxima, “Last Breath Of Fire”, é uma instrumental vigorosa e bacana, que abre caminho para a destruidora “I’m Feld”, uma arregaçantemente rápida e distorcida massa sônica esporrenta. Aumente mais um pouco o volume nessa.

O que posso dizer é que fiquei, além de impressionado, muito satisfeito com esta descoberta. Caras assim podem dar ainda muitos mais anos de relevência ao Metal, injetando garra, frescor e talento legítimo, renovando o estilo. Baixem correndo e não se arrependerão.

ABRAXXXXXXXXXXXXXXXX


Ações

Information

17 responses

8 02 2011
Gabriel Gonçalves

Fala, Robertão! Estou baixando o CD e confesso que estou bem ansioso para escutar esta sua indicação. Mas antes de escutar etecer qualquer comentário, gostaria de discordar de uma afirmação sua: “‘Kurgan’, a posterior, traz um elemento não muito usado no Metal: melodia…”. Se você está falando Metal no sentido das bandas extremas, aí eu concordo, mas se Metal estiver utilizado para descrever o gênero todo, aí eu discordo veementemente. Tem muitas bandas e artistas altamente melódicos dentro do Metal, inclusive indico a banda gaúcha Tierramystica (que mistura Metal com música folclórica inca, etc). Abração, cara!

8 02 2011
Roberto A

Sim, eu disse no sentido das bandas Extremas. Iron, Megadeth tem muita melodia, Metallica tem um pouco também.
ABRAX

8 02 2011
Gabriel Gonçalves

Então, estou com você, velhão!

8 02 2011
Roberto A

Tamo Junto! Baixou? Cola o som no talo e posta vossas impressões!

8 02 2011
Gabriel Gonçalves

Acabei de escutar o som, Robertão! Muito bom mesmo. Minhas preferidas foram a instrumental “The Last Breath of Fire” e ” última “Death of Archaic World”. Grande banda esta. Coo havia dito, roubei temporariamente sua coluna e escrvei um “Luz no Fim do Túnel” para publicar semana que vem, rs. Abração, meu velho!

8 02 2011
BERNARDO

+ NEWS:

Sei que vc é um fã incondicional do Kiss , olha isso! Sinistro rs

Gene Simmons na arquibancada

Você pode até não gostar do Kiss. Entendo. Mas a banda americana conta com milhões e milhões de fãs por todo o planeta e, no mundo do futebol, também. Prova disso é o FC Zürich. Seus torcedores exaltam o grupo de NY cantando uma de suas canções para mostrar o amor pelo time (“I was made for lovin you”, do disco Dynasty, de 1979) e exibindo um mosaico com as cores do clube e o rosto do baixista Gene Simmons (com direito a tradicional língua e tudo mais). Rock n’ Roll all night and football everyday.

video: http://www.youtube.com/watch?v=CyLRMUIeLC8&feature=player_embedded

fonte:http://globoesporte.globo.com/platb/brasilmundialfc/2011/02/08/gene-simmons-na-arquibancada/

8 02 2011
Gabriel Gonçalves

Fala, Bernardo! Vi esta notícia hojde de manhão, rs. bem legal, né? Os caras são foda. Abração meu velho!

8 02 2011
BERNARDO

+ News:

Agora a vaca foi p/ brejo, Gabriel !! Axl pau no C***

Nem o Rock And Roll da Fama vai ajudar ao Axl de reatar amizade com slash ano que vem quando o álbum appetite for destruction completar 25 anos. Fodeu rs

Axl Fdp!! rsrs

Axl Rose nega qualquer intenção de trabalhar com Slash

É um balde de água fria na cabeça dos fãs. Axl Rose não está nem aí para uma reunião com os antigos integrantes do Guns N` Roses. O vocalista negou qualquer intenção de voltar a trabalhar com Slash.

“Ao contrário do que alguns dizem, não há planos concretos, e nunca houve, para uma turnê e tampouco para substituir alguém na banda, apesar de várias ideias aleatorias e sem fundamento jogadas por várias pessoas”, escreveu Axl em seu Twitter.

O guitarrista Slash havia dito que cogitaria trabalhar com o vocalista caso ele pedisse desculpas.

fonte: http://www.pop.com.br/mundopop/noticias/musica/447140-Axl_Rose_nega_qualquer_intencao_de_trabalhar_com_Slash.html

8 02 2011
Gabriel Gonçalves

rs… Eu não culpo Axl não, meu velho. Tento me colocar no lugar dele e tento imginar o que ele pensa. Ele deve pensar algo do tipo: “Continuo com esta banda, que fez um grande disco, e na qual eu mando, ou reúno o velho Guns, para correr o risco de passar pelo mesmo inferno de antes”? Não estou aqui discutindo quem foi o culpado pela separação da banda, mas como Axl deve pensar hoje. Continuo naquele de sempre: se houve ruma reunião, lindo; se não houver, que lancem o sucessor do “Chinese…” e bola pra frente. Abração, meu velho!

8 02 2011
BERNARDO

+News:
outra fonte:

Axl Rose responde a Slash e descarta reunião com ex-Guns N’ Roses
Vocalista publicou mensagem em sua página pessoal no Twitter.

‘Não há planos concretos para turnê ou substituição de músicos’, escreveu.

http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2011/02/axl-rose-responde-slash-e-descarta-reuniao-com-ex-guns-n-roses.html

Ei Axl vai toma no C*****
Ei Axl vai toma no C*****
Ei Axl vai toma no C*****

Melhor assim mesmo Senhorita Axl , fique com sua prepotência , arrogância , rancor e o orgulho! FATO =/

8 02 2011
BERNARDO

+news:

Foda demais

Neil Young, Elton John e Paul Simon homenagearão novos membros do Hall da Fama do Rock

Rob Zombie, John Legend, Bette Midler, John Densmore e Lloyd Price completam a lista de estrelas que discursarão durante a cerimônia que acontece em março

fonte: http://www.rollingstone.com.br/secoes/novas/noticias/neil-young-elton-john-e-paul-simon-homenagearao-novos-membros-do-hall-da-fama-do-rock/

8 02 2011
Gabriel Gonçalves

Muito foda mesmo, Bernardo! Valeu pela notícia – já está publicada. Abração, meu velho!

8 02 2011
Renato Pina

Bom, escutei o cd durante o dia inteiro e posso afirmar que, infelizmente, não gostei dessa sugestão. De início, não sou um grande apreciador do folk metal, para mim, soa como um emaranhado de sons, porém sem nexo algum. Nesta banda, em particular, eu notei que eles se esforçam bastante para manter a melodia das músicas, isso é um ponto para eles – pois se destacam no mar de bandas de folk metal-, porém ainda continua soando estranho aos meus ouvidos, e em certos momentos eu achei as músicas massantes, com 6, 7 minutos de um som que não varia, fica só batendo na sua cabeça com as mesmas notas, ponto negativo para a banda.
Outro ponto negativo é o vocal, uma das poucas coisas que me fazem ouvir ao menos uma música de folk são os vocais limpos, melodiosos, com refrões cativantes e grudentos. No caso desta banda, meus ouvidos ficaram doendo com um vocalista que força demais a sua voz, me deixando tonto em certos momentos.
Para os apreciadores de folk metal esta banda dá conta do recado, agora para quem já tem uma predisposição a não ouvir nada relacionado à esse estilo, fica complicado aturar mais do que 2 músicas.
Existe sim luz no fim do túnel, mas eu acho que esta banda não é nem uma faísca para iluminar este túnel tão escuro, que já foi iluminado em outras edições desta seção.

8 02 2011
Gabriel Gonçalves

Fala, Renato! Eu também não sou muito chegado nestes lances mais extremos (meu máximo é o Slayer, rs), mas eu curti o Arafel. O texto sobre a banda que eu falei que você iria gostar (se é que já não conhece), e que eu iria resenhar um álbum aqui para o “Luz no Fim do Túnel”, já está pronto. Coloco no arna próxima semana. Abração, meu velho!

9 02 2011
Jacques A. de Melo

Grande Gabriel, muito bom o “Arafel”. Discordo do Renato , a banda é muito melódica e o baterista, em alguns momentos, me lembra o batera do SlipKnot.
Um amigo que não é chegado a Rock me perguntou, quando eu estava ouvindo “The last breth of fire” que banda era aquela. Logo a seguir , quando entrou “I’m Feld” ele saiu de perto. Isto é a maior prova da versatilidade desta banda. Para mim, muito boa.

9 02 2011
Gabriel Gonçalves

Fala, Jacques! Realmente a banda é bem versátil mesmo. Como falei antes, não sou muito chegado às bandas mais extremas (Canibal Corpse, Death, Carcass – meu limite é o Slayer), mas de vez em quando aparecem algumas que me agradam. Uma que posso indicar é o Heaven Shall Burn. O álbum mais novo deles, “Invictus – Iconoclast III” é muito bom, e as letras são de arrepiar. Tem uma canção chamada “Buried in Forgotten Grounds” que fala sobre as vítimas das ditaduras sul-americanas (especialmente a chilena), cujo verso final é arrepia todos os cabelos do corpo, rs. Ele diz: “Nós podemos estar enterrados em terras esquecidas/Mas as batidas dos corações dos nossos entes queridos serão os tambores a interromper seu sono”. Foda, né? É uma banda alemã, muito boa mesmo. Abração, meu velho!

9 02 2011
Roberto A

the samba remains the same!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: