“O PRIMEIRO ÁLBUM QUE PAULO JR. GRAVOU COM O SEPULTURA FOI O ‘ROOTS’, PORQUE ELE NÃO ERA TÃO BOM”, DIZ MAX CAVALERA

4 12 2010

Fonte: Revolver Magazine

O website “Revolver Magazine” conduziu uma entrevista com Max Cavalera que, dentre outros assuntos, falou sobre o novo disco do Soulfly, Cavalera Conspirancy e atirou a bomba: “O primeiro álbum do Sepultura que Paulo gravou foi o ‘Roots’, porque ele não era bom muito bom”.

Confira a entrevista completa, em português, com exclusividade no IMPRENSA ROCKER!

O Soulfly, liderado pelo frontman do Cavalera Conspirancy e ex-Sepultura Max Cavalera, está atualmente em turnê pela América do Norte, divulgando seu sétimo álbum, “Omen”. O fato deles terem começado a turnê logo após uma cansativa viagem a alguns dos mais gelados locais da Europa nem ao menos perturba o cantor. “Estamos ansiosos para voltar aos Estados Unidos e tocar”, ele diz. “Não toco aqui há um tempo”. É este tipo de visão positiva determinação inabalável que o ajudou a se destacar no Brasil para se tornar uma lenda do Metal internacional. Aqui eles nos conta sobre seu passado, presente e futuro.

O Soulfly acabou de concluir uma turnê européia. Como ela foi?
Foi bem legal, especialmente na Rússia. O Soulfly foi a primeira banda internacional a fazer uma turnê na Sibéria. Aqueles fãs são demais. Num show, 20 minutos após termos concluído o repertório, a audiência ficou gritando “Soulfly”, e não parou. Então eu voltei e toquei mais duas músicas. Para muitos deles, foi o primeiro show que assistiram. Acho que eles viram o Nazareth, tipo há 10 anos. Mas eles não têm nenhum show internacional, então estavam super animados.

Seu novo álbum, “Omen”, tem convidados muito legais, como Greg Puciato do Dillinger Escape Plan, e Tommy Victor do Prong, o que parece ser uma tradição do Soulfly. Por que você gosta de trabalhar com músicos convidados?
Eu realmente gosto do que você recebe de diferentes músicos. Uma das minhas melhores lembranças com um convidado foi quando fiz “Jumpdafuckup” (do álbum “Primitive”, de 2000) com Corey Taylor, do Slipknot. Ele estava tocando em Phoenix naquele dia. Eu apareci na passagem de som e o sequestrei. Basicamente o tomei com refém, como “entre no carro. Nós temos que ir ao estúdio e gravar agora”. Então, por quatro ou cinco horas, ficamos brincando com a música, que finalmente ficou pronta. Depois disso, fui para o show. Para mim, aquele foi um dia matador em minha vida. Gravando de dia e assistindo o Slipknot de noite.

“Omen” tem uma canção sobre Jeffrey Dahmer. Por que você quis escrever sobre ele?
Na verdade eu tive esta idéia há muito tempo. Quando estava no Sepultura, sempre quis escrever uma canção sobre um serial killer. Na época, seria Charles Manson. Quando comecei a trabalhar neste disco do Soulfly, tive a idéia novamente. Pensei em Charles Manson, mas então raciocinei: “Agora nós temos Jeffrey Dahmer também, que é muito mais doentio, porque ele era um canibal. Então eu gravei o Jeffrey Dahmer através da TV, quando eles os entrevistaram. Foi uma entrevista bem legal, na qual ele não culpa seus pais por nada, e diz que matou apenas porque quis. Foi apenas um estímulo que ele teve. Ele não sofreu nenhum abuso em casa, como a maioria dos serial killers. Eu também me lembrei de quando o Sepultura tocou no “Milwaukee Metalfest” na semana que Jeffrey Dahmer foi preso. Igor me mostrou uma nota fiscal da “Sears”, que ele recebeu de uma fã, e que estava assinado por Jeffrey Dahmer. 

Há alguns anos você se reuniu com Igor para formar o Cavalera Conspirancy. Vocês dois têm um novo álbum, “Blunt Force Trauma”, saindo em março. Ele será tão direto quanto o último?
Sim, é até mai que o outro. Marc (Marc Rizzo, guitarrista) estava dizendo: “Algumas coisas nisso soam como Canibal Corpse”. Igor está tocando muito bem. Seu jeito de tocar me lembra de quando o Sepultura estava em grande forma. Como no “Arise” e “Beneath The Remains”, quando ele estava super rápido e tirando uma energia matadora da bateria. Quisemos fazer canções mais curtas, então muitas das músicas possuem um minuto e meio ou dois minutos, e com um pouco do clima do “Raining Blood”, o que também é diferente para nós. Nós temos uma canção com convidado, com Roger Miret do Agnostic Front. Ele canta uma música chamada “Lynch Mob”. Eu acho que provavelmente ele é o meu vocalista preferido de toda aquela era do Hardcore de Nova Iorque.
 
Já que estamos falando do Sepultura, o que influenciou o começo da banda?
Havia um grupo no Brasil que nos fez levar à sério a idéia de montar uma banda. Eles se chamavam Dorsal Atlântica e eles eram como o Venon brasileiro. Bem pesados, super satânicos, caras pintadas, cruzes invertidas em suas testas e tudo. Muita loucura ao vivo. E nós ficamos, “cara, nós temos que ser como estes caras. Eles eram brutais”. Esta foi uma das inspirações que me fez pensar: “Se eles são brasileiros e estão fazendo isto, então nós também podemos”.

Como era a cena local quando vocês estavam começando?
Nós passávamos o tempo numa loja de discos que era dirigida pela nossa primeira gravadora, a “Cogumelo Records”. Eram apenas alguns de nós na frente da loja, usando jaquetas de couro e jeans rasgados, com as outras pessoas indo trabalhar e olhando para nós, como “olhe para estes vagabundos. Eles não fazem nada durante o dia inteiro. Eles apenas ficam aqui olhando uns para os outros”. Nós passávamos o tempo tomando cerveja, perturbando as pessoas na rua e nos metendo em encrenca. Apenas adolescentes normais.

O Sepultura atual anunciou recentemente que irão tocar o álbum “Arise” na íntegra. Mas não era você o compositor principal do Sepultura na época do disco?
Em casa, eu compunha da mesma forma que faço com o Soulfly. Eu dou crédito aos caras. Igor apareceu com muitas batidas originais, como em “Territory”. À medida que melhorávamos, ele tocava melhor. O único músico que não melhorou muito na época foi Paulo (Paulo Jr., baixista). Eu acho que o primeiro álbum que ele gravou foi o “Roots”. Todos os outros anteriores foi eu e Andreas (Andreas Kisser, guitarrista) fazendo o baixo, porque Paulo não tocava tão bem. Mas éramos amigos, então falávamos: “Sim, você pode ficar na banda, nós não iremos de expulsar. Quando tocarmos, nós apenas diminuiremos seu volume para que ninguém escute”.

Fora as brigas interpessoais da banda, vindo do Brasil, foi mais difícil se destacar internacionalmente?
Foi um processo um pouco mais lento. Começou na Europa. A primeira turnê do Sepultura na Europa foi em 1989. Abrimos para o Sodom e eventualmente fomos tendo uma reação melhor que eles. O gerente da turnê ficou puto e começou a nos sacanear um pouco, por exemplo, cortando nosso som e luzes. Ele era um cara alemão, e eu notei que ele era bem limpo, como se tomasse três banhos por dia. Então eu decidi que iria sacanear aquele cara, aí resolvi não tomar banho pelo resto da turnê. Eu me tornei o cara fedorento no ônibus, e isto deixou o cara maluco. Ele falava, “Eu quero matar o cantor do Sepultura. Ele tem que tomar um banho ou irei expulsá-los da turnê”.


Ações

Information

33 responses

4 12 2010
Daniel Junior

Achei esta história do Max falando do Paulo Jr interessantíssima. To falando dela lá no Aliterasom. Um abraço!!!

4 12 2010
Gabriel Gonçalves

Fala, Daniel! O Max realmente falou mais do que devia, rs… Abração, cara!

4 12 2010
Helton

Esse Max é um intragável….aff

4 12 2010
Gabriel Gonçalves

Fala, Heltão! O Max de vez em quando fala umas coisas que não dá pra entender… Abração, cara!

4 12 2010
Astolfo

É isso aí. Esse Paulo é um embuste mesmo. Já estava na hora de alguém falar isso. E ninguém melhor do que o Sr. Cavalera.

4 12 2010
Gabriel Gonçalves

Fala, Astolfo! Cara, não acho o Paulo ruim. Ele faz exatamente o que a música do Sepultura pede. Abração, cara!

5 12 2010
norton

max TEM TODA RAZÃO

5 12 2010
Gabriel Gonçalves

Fala, Norton! Cara, me permita discordadr de você. Não acho que o Paulo seja ruim (não tô dizendo que ele é o Jaco Pastorius do Thrash) mas, para mim, ele faz o feijão com arroz que combina perfeitamente com o Sepultura. Abração, cara!

5 12 2010
Helton

Bom é o Soulfly :S

5 12 2010
Gabriel Gonçalves

rs… Devo confessar que após Max ter saído do Sepultura, eu meio que parei de acopanhaer sua carreira, então, fora uma música ou outra, não conheço o Soulfly o suficiente para dizer se é bom ou ruim, mas que Max de vez em quando fala umas maluquices, isso ele fala.

5 12 2010
Abajur

Max é um gênio, a única banda brasileira que se equivale Legiao urbana em termos de vendas – só 15 milhões de discos, acompnahei o levante do Sepultura nessa época e ao vivo eles não deviam nada para ninguém mesmo, eu acho que deveriam fazer uma estatua dele em algum lugar, no documantário Rúidos de Minas a dona da Cogumelo disse que ele sempre estava a frente da geração escutando músicas alternativas e clássicos, que pena que o Sepultura acabou e gostaria de ver Soulfly e ou Cavalera Conspiracy no Rock in Rio!

5 12 2010
Gabriel Gonçalves

Fala, Abajur (seu apelido é genial,rs)! Adoro o Sepultura; e abnda nacional que mais tenho orgulho, entretanto não acho que vendas de discos seja o parâmetro adequado para atestar a qualidade de algum artista – principalmente no Brasil. E o “Ruídos de Minas” é muito bom mesmo! Abração, cara!

5 12 2010
andersoN

Não é tão bom? Fala sério. Max tá sendo bonzinho com o Paulo, pq ele não toca é NAAAADAAAA!!!! rsrsrsrsrsrsrsrss

6 12 2010
Gabriel Gonçalves

rs… Fala, Anderson! Cara, vou continuar com o que já disse antes, rs: Não acho que o Paulo seja ruim. Ele toca para a banda e faz o que música pede. Geralmente a simplicidade é mais eficiente… Abração, cara!

6 12 2010
Markito

Todo mundo sabe que o Paulo não é o melhor baixista do mundo, e que ele nao gravou os discos até o Chaos AD… pq antes a banda nao tinha dinheiro pra ficar queimando horas no estudio, e o Paulo errava bastante. Mas isso nunca foi segredo.

Nem max, nem soulfly nem cavalera conspiracy tem muita coisa a oferecer.
O show deles no SWU foi broxante. Fica um falando do outro… todo mundo falalndo muito e fazendo pouco.

6 12 2010
Gabriel Gonçalves

Fala, Markito! Cara, se o Paulo gravou ou não os baixos até o “Chaos AD” eu não sei, mas não creio que esta tenha sido a razão para isso. Desde o “Beneath The Remains” que eles eram da “Roadrunner Records”, portanto não creio que o orçamento fosse tão baixo a ponto do baixista não poder gravar suas partes adequadamente. Se ele gravou ou não, eu não sei, mas não acho que o motivo tenha sido falta de grana. Abração, cara!

6 12 2010
Roberto A

max calado é um poeta. deveria primeiro ir a um dentista e arrumar um personal stylist…

7 12 2010
Helton

Eu ri ahuehuahuhuaehuae

7 12 2010
Gabriel Gonçalves

rsrsrsrrs… O Roberto falou o que muita gente gostaria. Abração!

7 12 2010
Matheus Armando

Max, evidente que Sepultura existiu ate o album |Roots| e ficou na UTI ate saida de Iggor, ah 18 anos atras quase 19 iniciava a minha vida adolescente com albuns |Bestial and Morbid| e |Schizo| e era notavel qto esta banda era capacitada e marca registrada no estilo, fazemos o Feedback da banda e notamos as composicoes marcantes, agressividade ao ponto e bateria com DNA anti-mutagenico pois clona-lo seria impossivel, nao sou contra |Negao| nos vocais, mas ele nunca conseguiu chegar ao list de Max em expressoes no palco e vocais, alias, como medico eu diria q sua voz seja uma laringite com Max Cavalera, uma nota classica pra se observar e a gravacao de DVD |Live in SP| qdo Krisiun dueta com |Negao| e percepitivel qto a voz de Derrick e fraca e sem muita atitude. Sou do prognostico |Sepultura-Reunion| em memoria aos fas do Brasil.

8 12 2010
Gabriel Gonçalves

Fala, Matheus! Cara, respeito totalmente sua opinião, mas permita-me discordar, rs. Eu acho que tanto Max quanto Iggor saíram porque quiseram; os caras continuaram em frente e levando o nome da banda em frente. Uma reunião a força, na minha opinião, só estragaria toda a magia do Sepultura. Abração, cara!

8 12 2010
Pericles

Putz, não existe troço mais idiota que essas dores de cotovelo, os caras simplesmente viraram a página e foram em frente, porque o Max não faz o mesmo e cala essa boca cheia de dente podre…

8 12 2010
Gabriel Gonçalves

rs… Fala Péricles! Cara, tenho um raciocínio parecido com o seu. Os caras seguiram em frente, ele seguiu em frente, mas parece ele não resiste em ficar remoendo o passado (meio como o Paul Di’Anno faz). Abração, cara!

9 12 2010
cleibsom carlos

pessoal, o andreas ja falou que gravou o baixo nos discos do sepultura ha uns 10 anos atras porque o paulo tinha dificuldade para tocar e que nem sabia afinar o instrumento. na epoca a repercusao foi nula. por que esse escandalo agora?

9 12 2010
Gabriel Gonçalves

Fala, Cleibsom, tudo certo? Cara, não entendi muito bem o que você disse. O Andreas falou isso há 10 anos ou falou que há 10 anos ele gravou o baixo do Paulo? Bom, de qualquer forma, não lembro do Andreas ter feito qualquer comentário, mas se fez, é estraho realmente não ter rolado nenhuma repercussão. Você sabe onde foi que ele falou isso, meu velho? Abração, cara!

9 12 2010
Roberto A

realmente ele já disse isso em inúmeras rock brigades, e guitar players. há muuuuuuuito tempo.

abraxxxx!

10 12 2010
Gabriel Gonçalves

Valeu pela informação, meu velho. Abração!

10 12 2010
cleibsom carlos

e ai, gabriel, beleza? o andreas falou isso em uma materia de capa no nº 01 da comando rock, esta revista foi publicada ha alguns anos atras, nao me lembro exatamente quando. na entrevista ele comentou que pelo menos ate o disco arise o paulo nunca gravou o baixo nos discos do sepultura porque ele tinha muitas dificuldades e isso acarretava problemas com os produtores. agora, a partir do chaos a.d. eu ja nao sei…

10 12 2010
Gabriel Gonçalves

Valeu pela informação, Cleibsom. Vou correr atrás desta entrevista. Abração, meu velho!

15 12 2010
nelso

ficar falando sobre o sepultura de hoje e o de antes é uma serta perca de tempo soulfly tamben não é la grande coisa max é um bom musico andreas tamben mais tanto max como andreas mudaran os rumos das musicas q fazian antes nem uma desas bandas é thrash metal de verdade,,,curto a fase oitentista do sepultura ,, soulfly nunca apreciei nada deles alem do talento do cavalera..quanto a isso do paulo dava-se a perseber q ele sempre era despercebido msm pelo resto da turma..agora depois de toda essa confuzão isso vem atona

16 12 2010
Gabriel Gonçalves

Fala, Nelso! Cara, só vou discordar de você quando disse que o Sepultura não é mais Thrash. Acho qye dentro do Thrash, você tem várias possibilidades, por exmplo, o som do Anthrax é diferente do som do Slayer, que é diferente do som do Megadeth e assim por diante. Mas todas esta bandas são Thrash. Acho que o Sepultura vem mudando seu som desde sempre, mas continua sendo Thrash. Abração, cara!

18 12 2010
nelso

grande gabriel!cara o sepultura de hoje,p/ min é uma especie de heardcore eu ñ tenho nada contra esse estilo d musica sitado, mais ssi comparar o som q o sepultura faz hoje c/o heardcore vc verar muinta semelhança, e si comparado o som q o sepultura fazia antes c/ o de hoje ae si vc verar thrash metal de verdade, na fase oitentista da banda…esas bandas q vc sitou fazem thrash de verdade cada uma tem seu estilo de fazer,as diferenças estão em suas maneira cada uma desas bandas megadeth anthrax slayer cada uma tenden a seguir seu estilço de fazer thrash metal,,por esse motivo veremos diferença, pq si ñ veriamos só miseras copias….vc vendo dessa forma é quase como aseitar q essa fase nova do metallica continua fazendo thrash metal oitentista,,, abrasos brutais man

19 12 2010
Gabriel Gonçalves

Fala, Nelso! Você tem razão quand diz que o Sepultura atual tem traços de Hardcore, mas o qe eu quis dizer é que os estilos são mutáveis. Ao longo do tempo eles foram incorporando novos elementos ao som da banda, mas o “grosso” do som continua sendo Thrash. Uma banda como Beatles, por exemplo, teria que ter um estilo só para eles, porque eles incorporaram de tudo no som deles, saca? Abração, meu velho!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: