AXL LEVA GARRAFADA, GUNS DEIXA PALCO E PÚBLICO VAI EMBORA

2 09 2010

Enviado por: Raquel Hortmann
Publicado originalmente:
Rock em Geral

Estava para acontecer há muito tempo. Num show realizado ontem, 1 de setembro, em Dublin, na Irlanda, o atraso do Guns N’Roses para subir ao palco fez com que o público atirasse garrafas no vocalista Axl Rose, até o grupo abandonar o show, já na primeira música.

De acordo com um site local, o Guns N’Roses iniciou o show depois de uma hora de a banda de abertura (Danko Jones) ter concluído a apresentação. Nesse intervalo, o público atirava garrafas de cerveja/água no palco, o que continuou a acontecer depois que o Guns começou a tocar. Axl percebeu que uma garrafa foi lançada e ameaçou parar o show. Cerca de 25 minutos depois, enquanto Axl apresentava os integrantes, outra garrafa foi lançada, o vocalista deu boa noite e saiu com o grupo do palco.

Depois de 10 minutos, ainda de acordo com o site local, um responsável pela produção alegou “problemas técnicos” para a retirada, e disse que estava tentando levar o Guns de volta ao show. Mais dez minutos, as luzes se acenderam e boa parte da platéia deixou o local. Surpreendentemente, quinze minutos mais tarde o Guns N’Roses subiu ao palco e tocou o restante do repertório, para um público bastante reduzido. Não se sabe ainda que desdobramentos o episódio terá. O próximo show está marcado para Roma, no sábado, dia 4.

Anúncios

Ações

Information

12 responses

2 09 2010
Alexandre

Desculpem fãs dessa banda, mas não houve e nunca haverá na história do rock maior c… do que esse tal de Axl Rose. Uma banda desse porte tem que ser, no mínimo, profissional. Jamais vou gastar meu salário pra ver esse palhaço se atrasar, e ainda, provavelmente me xingar depois.

2 09 2010
Gabriel Gonçalves

Fala, Alexandre. Acho que neste caso, Axl nem foi tão mala assim. Ele errou em atrasar – novamente – o show em uma hora, mas o público não tinha que jogar nada no palco. Aí já é uma questão de segurança dos músicos. Fui no show deste ano em SP, e se viesse novamente eu iria – mas pegaria uma arquibancada, porque esperar em pé tá foda, rs. Abração, cara, e volte sempre!

2 09 2010
Helton

Gente….o Axl nunca vai crescer??? Logico que não, né, a culpa nunca é dele… Ainda bem que o Maiden, como bons britânicos, nunca atrasam… E eu acho o Chinese um cd ‘ok’… nunca existirá outro Appetite, não vou viver de passado mesmo com o Guns… Street of Dreams é tão boa quanto qualquer balada da formação clássica, a propria Chinese tem uma pegada interessante. O único ‘dino’ que não me agradou foi o Ozzy e juro que ja tentei diversas vezes escutar o Scream =/

Abraz

2 09 2010
Gabriel Gonçalves

Fala, Heltão! O cara já tem quase 50 anos, nunca mudou, então não será gora que vai mudar, rs. Dos últimos lançamentos dos dinossauros, confesso que ainda não ouvi o “Scream”, mas curti muito o “Black Ice”, o “Sonic Boom”, “Final Frontier” e “Chinese Democracy”. Abração, meu velho!

2 09 2010
Helton

Black Ice”, o “Sonic Boom”, “Final Frontier” e “Chinese Democracy” … curti todos levada as proporções…. só o Scream mesmo, cara…e curto muito a carreira solo do Madman….

2 09 2010
Gabriel Gonçalves

Fala, Heltão! Eu também adoro a carreira solo e Ozzy – tenho todos – mas ainda não escutei o “Scream” – eu sei, é um pecado, rs – mas já acabou com isto já já. Velho, alguns vão me bater, mas um dos meus discos preferidos da carreira solo dele é “The Ultimate Sin”. “Killer of Giants” é um hino! Abração, cara!

3 09 2010
Alexandre

Gabriel,

Também curto o “The Ultimate Sin”. Não acho um discaço como o “Blizzard of Oz” e o “No More Tears”, mas gosto bastante de “Thank God for the Bomb”, “Killer of Giants”, da faixa título, e é claro, da “Shot in the Dark”.
Acho o Jake E. Lee um exímio criador de riffs.

Abraço.

3 09 2010
Gabriel Gonçalves

Fala, Alexandre, tudo beleza? O “Blizzard of Ozz” é até covardia, rs. A versão remasterizada só não é perfeita, porque a maluca da Sharon gravou novas faixas de baixo e bateria e substituiu as antigas – só pode ter merda na cabeça. Mas aquela faixa bônus “You Lookin’ at Me Lookin’ at You” é sensacional, fora que o disco em si já é um espetáculo. E você tem razão, Jake E Lee é um ótimo riff man. Você coinhece o trabalho dele com o Badlands? è muito bom também. Abração, cara, e volte sempre!

3 09 2010
Alexandre

Oi Gabriel,

Aquilo que a Sharon fez foi palhaçada, substituir o baixo do mestre Bob Daisley e a bateria do Lee Kerslake foi covardia ehehe. E agora vão lançar outra versão remasterizada, vamos ver o que a doida vai fazer dessa vez.

Conheço o Badlands, puta banda!! O finado Ray Gillen cantava muito, além do Eric Singer na bateria, que dispensa comentários.

Quanto ao Jake E. Lee, sempre ouço uma faixa do “Bark at the Moon”, que tem um riff maravilhoso: “Rock and Roll Rebel”.

Abração.

3 09 2010
Gabriel Gonçalves

É verdade, Alexandre! Foi realmente uma palhaçada o que a Sharon fez, mas pelo que eu andei lendo, esta nova versão virá com todos os instrumentos originais. Vamos ver se desta vez o “Blizzard of Ozz” ganha uma remasterização de respeito, rs. Quanto ao Badlands, você tem toda a razão: Ray Gillen cantava muito – uma pena ele ter morrido tão cedo – sem contar o Eric Singer, que é um monstro. “Rock n’ Roll Rebel” é fantástica, mas confesso que adoro “So Tired”, uma baladinha breeega de dar dó – principalmente aquele pianinho da introdução, rs – mas ainda assim é boa demais. Abração, meu velho!

7 09 2010
Marcos

KKKKKK. Tava na cara que ia acontecer uma dessas e foi logo na Irlanda. Aqueles figuras beberrõe e briguentos dos irlandeses não contaram conversa e meteram garrafada. Eu também já fui vítima dos atrasos do Axl – mais de 3 horas de espera. Sofri muito e não pretendo voltar a shows do Guns. Por outro lado acho que isso já faz parte do folclore dele, como ocorrera também com o finado Tim Maia que não aparecia para os shows. Fã que é fã aguenta e acha graça. Eu que não sou tão fã assim me dei por satisfeito com o show de Brasília e fim de papo. Quanto ao disco do Ozzy, ouvi apenas as 5 primeiras faixas só para sentir o estilo e não gostei. Acho que a Sharon fica direcionando os arranjos do Madman para o tipo de som comercial de cada época. Entendo que isso acontece em certa medida com a maioria dos músicos, mas esse último disco do OZzy exagerou nessa levada rock moderninha e chata cujos expoentes nem sei quem são pois detesto.

7 09 2010
Gabriel Gonçalves

Pois é, Marquêra, também achei bem interessante ter acontecido logo na Irlanda, rs. Quanto ao Ozzy, não acho que a Sharon dê palpites quando se trata de música, mas como ainda não ouvi o disco, prefiro não comentar. Aliás, espero ansiosamente o próximo, pois neste o Gus G só fez gravar as músicas que Ozzy já hava composto com Zakk. Quero ver no próximo, quando Ozzy irá compor as músicas junto com o Gus. Abração, meu velho!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: