“EU AMO SLASH MAIS QUE TUDO”, DIZ STEVEN ADLER

27 07 2010

Fonte: NorthJersey.com

O repórter Mike Kerwick, do “NorthJersey.com” conduziu uma entrevista com Steven Adler, baterista original do Guns n’ Roses, que falou sobre sua luta contra a dependência de drogas, seu livro e sobre Axl e Slash.

Confira abaixo com exclusividade aqui no IMPRENSA ROCKER a entrevista na íntegra, traduzida para o português:

Enquanto seu ônibus da turnê passava por Montana, Steven Adler tirou um momento para refletir. Ele geralmente tenta não olhar para trás, não quando seu passado é uma página virada, que mistura glamour e perigo.

Mas Adler, baterista original do Guns n’ Roses, lançou um livro que oferece uma deslumbrante visão de sua vida – boa, ruim e cheia de feiúra. Adler visitará Ridgewood, em Nova Jersey, na quarta-feira para autografar cópias do “My Appetite for Destruction: Sex & Drugs & Guns n’ Roses”.

Ele passou alguns minutos no telefone conosco, falando sobre o livro.

North Jersey: Você escreveu na introdução do livro: “as pessoas adoram acidentes de trens”. Isto (o livro) é uma estória sobre um acidente de trem?
Steven Adler: Um acidente de trem muito bem sucedido. Se você vai fazer algo, faça bem feito. Definitivamente foi um enorme acidente de trem. Claro que não começou assim, mas quando você usa drogas e bebe e sai com as pessoas erradas, está sujeito a se tornar um acidente.

NJ: O livro tem algumas revelações chocantes, incluindo uma passagem no qual você sugere que foi estuprado. Quão difícil…
AS: (Interrompendo a pergunta) Não, Não. Eu não fui estuprado. Isto não está lá, está?

NJ: Você disse que não queria entrar em detalhes no livro, mas falou que tinha um cara, e tinham mais dois caras… Talvez você possa esclarecer…
AS: Agora que você está me trazendo velhas lembranças, ficarei deprimido num Segundo.

NJ: Você disse: “Nós chegamos num lixo de apartamento minúsculo. Tinham um outro cara por lá, só que ele aparentava ter uns 40 anos. Um completo perdedor maltrapilho. Logo de cara, me senti apreensivo. Algo não estava certo. Este cara”…
SA: (Interrompendo novamente) Cara, sim. Agora acho que estou deprimido. Sim, claro, agora que você mecionou… Acho que foi uma daquelas lembranças que eu tento esquecer. Mas agora que você trouxe de volta, eu vou chorar. Muito obrigado (risos).

NJ: Foi duro para você incluir isto (no livro)?
SA: Você é jovem. Você mora em Hollywood. E coisas como esta acontecem. Você nunca espera que uma coisa desta aconteça. É algo que eu tive que aceitar e me fortalecer.

NJ: Axl Rose sempre foi uma das figures mais polarizadoras do Rock. Na página 98, você escreveu: “De todos nós, Axl parecia ser o mais careta”. Eu acho que isto irá surpreender algumas pessoas. Axl era realmente o membro mais calmo da banda?
SA: Quando se tratava de drogas e brigas e coisas do tipo, ele definitivamente tinha alguns problemas. Ele apenas ficava sempre lá. Ele era o cantor e ele realmente se importava em como iria aparecer e como iria soar… era muito importante para ele. Quando gravamos o “Appetite”, ele cantou palavra por palavra. Ele se importa muito, eu sei disto.

NJ: Quando você ouve o nome de Axl agora, quais são os primeiros sentimentos que aparecem em sua cabeça?
SA: Um superstar por quem sou grato por ter conhecido e por ter feito parte de minha vida.

NJ: E quando você ouve o nome de Slash?
SA: É uma honra ainda sermos amigos. Eu o amo mais do que tudo. Eu liguei para ele quando fui fazer o “Dr. Drew Celebrity Rehab” (Nota do tradutor: reality show norte Americano, que mostrava celebridades em reabilitação com o médico Dr. Drew). Eu disse ao Dr. Drew que achava não ser capaz de atingir as metas que tinha seu tivesse a oportunidade de falar com Slash e me desculpar com ele. Eu me desculpei com todos os caras. Por 20 anos eu os culpei por minha queda. E eles não tinham nada a ver com isto.

NJ: No livro você aponta a ironia de uma banda glorificando o uso de drogas, e demitindo seu baterista por causa de seu abuso de drogas. Você ainda está ressentido com relação a como as coisas terminaram entre você e a banda?
SA: Não mais. Seria muito legal se pudéssemos fazer uma reunião com nós cinco. Seria ótimo, mas não estou contando com isto. Já se passou muito tempo. Tenho que cuidar de mim mesmo. Se quero ser bem sucedido, não posso depender de ninguém além de mim mesmo.

NJ: Em certa parte você escreveu sobre um incidente em que seu lábio partiu, seus dentes quebraram e o chão ficou coberto de sangue.
SA: Ah, quando tive um derrame.

NJ: Yeah.  Então você vai para o hospital e ainda quer se drogar. Este foi um dos momentos mais baixos?
SA: Foi definitivamente um ponto baixo em minha vida. Assim que as convulsões pararam, eu voltei a fazer tudo novamente. Eu definitivamente estava tentando me matar. Mas tenho que dizer que Deus ou Satã, seja lá quem controle tudo, tomou conta de mim.

NJ: Há quanto tempo você está limpo agora?
SA: Bem, já são dois anos e meio desde que começou o lance do Dr. Drew, e eu tive duas recaídas… Não sei, há uns cinco meses.

NJ: Algumas pessoas podem querer saber o que faz desta vez ser diferente?
SA: Desta vez eu tenho metas, tenho sonhos que quero realizar. E eu sei muito bem que de forma alguma serei capaz de realizar esses sonhos e metas se estiver usando drogas.

NJ: Apenas como pressentimento: nós um dia veremos a formação original do Guns n’ Roses no palco novamente?
Eu adoraria mais que tudo que isto acontecesse. Mas como eu disse antes, não posso contra com isto. Eu tento contar com isto, mas após 25 anos não posso mais. Eu desperdicei muito tempo em minha vida. Eu quero muito mais, muito mais felicidade do que tive no passado.


Ações

Information

4 responses

4 09 2010
carolina

Nen um outro baterista que tiver ou ja teve no guns vai ser o mesmo sem o steven

4 09 2010
Gabriel Gonçalves

Fala, Carol! Como eu disse, acho o Steven um puta baterista, mas confesso que acho o Matt Sorum um monstro. Talvez porque quando me tornei fã do Guns, no início dos anos 90, ele era o batera da banda… Acho que o trabalho dele nos “Illusions” foi imabtível. Abração, Carol!

26 02 2011
André Luiz

Nuss, só vim responder agora.
Mas Gabriel, quem escreveu o Use your Illusion foi o Izzy e o Steven, o Matt apenas tocou…

27 02 2011
Gabriel Gonçalves

Fala, André! Cara, acho que não foi bem assim. Pelo menos no livro de Slash, ele diz que Steven tava tão ferrado de drogas que não conseguia nem acompanhar as músicas, quando ainda estavam começando a compor pros “Illusions” (o que foi a gota d’água pros caras chutarem ele da banda). De fato mesmo, acho que o Steven só paticipou ativamente (do jeito que dava) de “Civil War” e das que já existiam há muito tempo, como “Don’t Cry” e “You Could Be Mine”, mas mesmo nestas, dá pra perceber que a linha de bateria é de Matt – o estilo e a pegada são bem diferentes. Abração, meu velho!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: