ROBERT PLANT: “MAS, CLARO, NÃO ERA O LED ZEPPELIN”.

26 07 2010

Fonte: Mojo Magazine

Robert Plant manteve sua relutância em sair em turnê com o Led Zeppelin, após o antológico show na “O2 Arena”, preferindo se concentrar em seus projetos solos, como o disco em parceria com a Alison Kraus, “Raising Sand”, e mais recentemente na volta da Band of Joy – grupo de Plant e Bonham anterior ao Zeppelin – com novos integrantes.

“É mais ou menos o seguinte… o que há de novidade?”, “Nós fizemos uma vez. Foi, de verdade, o melhor show do Led Zeppelin desde 1975. Mas, claro, não era o Led Zeppelin. Não podemos nos esquecer disto”.

Para Plant, a banda sem o baterista John Bonham – morto em 1980 – não merece o nome, mas admite que “se nós três saíssemos em turnê juntos, e nos chamássemos ‘Page & Jones & Plant’, não teria o mesmo apelo”.

Plant recorda de alguns momentos interessantes no backstage na “O2”, por exemplo, quando a mãe de John Bonham lhe disse: “você não mudou nada, você está sempre coçando o saco”.

O que guia Plant, na verdade, é uma espécie de inquietação. Ele é um aventureiro que sempre seguiu o caminho que quis desde os anos 60, na cena “beat” de Stourbridge, pegando carona no barco da psicodelia da Costa Oeste e, mais tarde, aterrissando seus cabelos selvagens na rica pesada música do Led Zeppelin.

“Bonzo costumava dizer para mim, categoricamente: ‘Você não é bom porra nenhuma. Vá até lá e pareça ser bom’”, relembra Plant. “E ele provavelmente estava certo, pelo que eu ouvi nos bootlegs”, conclui.

Seu mais novo trabalho, a nova reencarnação da Band of Joy, lançará seu álbum de estréia em 13 de setembro. A banda responsável por dar vida às idéias Country/Folk Rock de Plant é composta por músicos de Nashville, como Buddy Miller, Patty Griffin, Byron House, Marco Giovino e Darrell Scott.

Anúncios

Ações

Information

14 responses

26 07 2010
Leandro Custódio

Acho interessante a desculpa de que nao é mais o Led Zeppelin. Tudo bem que um parceiro de banda morrer meio que desmonta a banda, mas acho uma desculpa ridicula.
O que dizer de manter o nome da “Band Of Joy” mesmo sem nenhum integrante original ?

26 07 2010
Gabriel Gonçalves

rs… Acho que dependendo da banda, é justificável, por exemplo, o Kiss sem Paul e Gene não rola. No caso Zeppelin, acho que é bem complicado discutir isso, porque ao mesmo tempo em que Bonham não era da comissão de frente da banda, ele conseguia imprimir uma marcar ao som do grupo. Acho que no Band of Joy, como não chegou a trabalhar muito, é mais tranquilo, rs. Abração, meu velho, a gente se vê no sábado!

27 07 2010
FPazzini

sempre que se pensa em zeppelin, se pensa no único, no sólido, no exclusivo … na única banda da época em que nenhum integrante foi substituído ou ao menos foi cogitado para isso … pensar em zeppelin sem bonham é mesmo uma perda de tempo … é o mesmo que pensar em beatles sem ringo … seria a mesma coisa que o purple hj … arrumaram o que tinha de melhor no mercado para substituir o blackmore e …? plant tá certo … aqui pra gente, zeppelin sem bonham é claudinho sem bochecha … rsss…

27 07 2010
Gabriel Gonçalves

Fala, meu velho, tudo certo? rs… “Claudinho sem Bochecha” vai gerar polêmica aqui no blog, rs. Cara, concordo com quase tudo o que você escreveu. Realmente não dá para imaginar o Zep e os Beatles com qualquer integrante que não sejam os clássicos – não disse “originais”, porque Ringo não foi o original, rs. Mas existem casos em que membros imprescindíveis foram substituídos e as bandas permaneceram ótimas ou até melhoraram, por exemplo, AC/DC, Iron Maiden e, já que você citou, o Purple em certos casos. Lógico que Blackmore é um ícone da guitarra, mas acho que o Morse o substituiu à altura. Sem contar Coverdale e Hughes que, para mim – lá vem confusão pro meu lado, rs – fizeram parte da melhor formação do Purple. Adoro o Ian Gillan, mas o line up do “Burn” e Stormbringer” é imbatível, na minha opinião. Obrigado pela visita e volte sempre, meu velho!

27 07 2010
Cristiano

Legal a matéria e o q posso concluir em minha humilde opinião é que: Plant não tem mais gogó pra cantar no Led, infelizmente. É foda pro cara cantar notas mais baixas e mudar toda a afinação da banda por isso. Absolutamente normal, já q com o passar do tempo nossas limitações tendem a aumentar mesmo, mas esse homem foi considerado a garganta de ouro do Rock, ele nao precisa ser uma caricatura de si próprio.

27 07 2010
Gabriel Gonçalves

Fala, Cristiano, tudo bem? É fato que Plant não consegue mais cantar algumas canções do Zep no tom original, entratanto não vejo mal em abaixar os tons. É normal para o corpo do ser humano. À medida que vamos envelhecendo, nossa vez fica mais grave, e não acho que seja justo para um cantor ser obrigado a parar de cantar certas músicas por isso. Lógico que sentiríamos uma falta daquele berro em “Immigrant Song”, mas acho que cabea nós, fãs, entendermos esta limitação. Se eles quisessem voltar e tocar tudo em tons mais baixos, teriam todo meu apoio, rs. Grande abraço, cara, e volte sempre!

27 07 2010
zicabass

ele deve ter muito carnê com prestaçoes atrasadas ,logo logo ele muda de ideia ….

27 07 2010
Gabriel Gonçalves

Fala, cara, tudo beleza? Velho, acho que, ao contrário do que você falou, ele é um multi-milionário que pode se dar ao luxo de recusar a granar preta que uma reunião do Zep levantaria. Não vamos esquecer que, apesar da banda não mais existir, eles ainda recebem polpudos depósitos por royalties de venda de discos, DVD’s, licenciamento de produtos, etc. E Plant foi um cara que sempre fez o que quis – sem contar que mesmo em carreira solo, ou em parcerias, ou com a Band of Joy, o cachê dele não deve ser nada barato, rs. E, mais importante, não acho que seja nada demais ele se reunir com Zep pela grana. Ele é músico, é dono daquele catálogo (junto com os outros), então tem mais é que aproveitar mesmo. Grande abraço, meu velho, e volte sempre!

27 07 2010
Stranger_Land

O Plant com prestações atrasadas?!?!rsrsrs…
Como o Gabriel disse, ele em casa sentado no vaso sanitário está ganhando rios de dinheiro em toda parte deste mundão.
Eu, por culpa da minha idade, não tive o privilégio de vê-los em um show; e essa reunião seria a oportunidade ideal.
Abços!!!

27 07 2010
Gabriel Gonçalves

Pois é, cara. Eu também não tive a oportunidade de vê-los. Seria ótimo se rolasse a reunião, mas pelo andar da carruagem não acontecerá. Mas sinceramente, não me importaria deles se juntarem com o Jason Bonham e sairem em turnê como “Black Dog”, ou algo do tipo – como foi com o Heaven and Hell (Black Sabbath), rs. Grande abraço!

27 07 2010
Filipe Lopes

Minha primeira vez aqui no blog, cheguei aqui através do Whiplash, e achei o blog muito legal.
Sou um fan incondicional do Led Zeppelin e em especial do Plant.
Na minha opinião, como na de qualquer fan, fica claro que queremos uma reunião, nossa seria um sonho realizado vê o Zeppelin (mesmo com o Plant ecoando notas mais baixas) reunido novamente e seria o dia mais feliz da minha vida vê um Show deles. Mas a nós cabe esperar e compreender a decisão deles. Apoio Plant no que ele decidir, vou sempre compar seus cd’s solo e escutar suas músicas. Se o Zeppelin voltar ótimo, mas se não voltar, entenderei e serei muito grato por um dia eles terem existido e deixado um trabalho divino.
Obrigado pelo espaço, abraço para todos.

27 07 2010
Gabriel Gonçalves

Fala, Filipe, tudo beleza? Velho, você está certíssimo! Se rolar umareunião, ótimo, senão temos que nos dar por satisfeitos pelo que a banda já fez. E os integrantes ainda estão por aí, lançando trabalhos interessantes. Obrigado pela visita e pelos elogios! Volte sempre, meu velho!

29 07 2010
ZeppelinHeavyMetal

O Led Zeppelin não estava bem em seus dois últimos discos (presence e ITOD), começavam a abandonar o metal que criaram e o próprio Bonham estava descontente com o último disco ITOD. Bonham queria se aprofundar em voltar as raízes pesadas e havia admitido estar insatisfeito com page. Propôs que ele e Page assumissem o controle da banda e fizessem um disco pesadaço pra ir contra o punk rock que rolava na Inglaterra. O Led acabou pq sabia que seria difícil continuar. Eles teriam que se adaptar ao novo metal oitentista ou talvez abraçassem o pop do início dos 80. Mas seria excelente que saissem em turnê Plant page e Jones com outro nome, eu queria muito isso. Mas queria que eles voltassem com sua abordagem metal.

29 07 2010
Gabriel Gonçalves

Fala, Paulo, blza? Ralmente os disco anteriores são melhores que os três últimos (contando com o Coda, é claro), mas apesar do Zep ser um dos pais do Heavy Metal, não acho que este aspecto fosse o mais em evidência. Há grandes Heavys, como “Communication Breakdown”, “Immigrant Song”, Black Dog” e muitos outros, mas acho o Blues e o folk (o folk principlamnete após o “Led Zeppelin III”) “turbinados” eram os elementos mais explícitos. Pô, imagina se Bonzo não morre, e este disco que você falou (mais pesado) realmente fosse feito? Seria fenomenal! E assim como você, gostaria muito de que os três saissem em turnê (com qualquer nome) e que dessem uma passadinha por aqui, rs. Grande abraço, meu velho, e volte sempre!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: