ESPECIAL: SEMANA RONNIE JAMES DIO – PARTE V

21 05 2010

Leia a parte I do especial:

https://imprensarocker.wordpress.com/2010/05/17/especial-semana-ronnie-james-dio/

Leia a parte II do especial:

https://imprensarocker.wordpress.com/2010/05/18/especial-semana-ronnie-james-dio-parte-ii/

Leia parte III do especial:

https://imprensarocker.wordpress.com/2010/05/19/especial-semana-ronnie-james-dio-parte-iii/

Leia parte IV do especial:

https://imprensarocker.wordpress.com/2010/05/20/especial-semana-ronnie-james-dio-%e2%80%93-parte-iv/

Chegamos na metade final do especial SEMANA RONNIE JAMES DIO, e nesta quinta parte mostraremos uma iniciativa inédita no Heavy Metal, idealizada pelo Jimmy Bain e Vivian Campbell, e capitaneada pelo velho Dio.

Quem disse que We Are The World e Do They Know It’s Christmas estavam sozinhas em 1985?

OS BRUTOS TAMBÉM AMAM: HEAR N’ AID

O ano era 1985 e iniciativas de artistas consagrados do mundo Pop para combater a pobreza mundial estavam em voga. O Band AID e o USA for Africa haviam arrecadado milhões de dólares com o lançamento dos hits Do They Know It’s Christmas e We Are The World, respectivamente, mas a participação de astros da música pesada ainda era tímida.

Enquanto estavam em uma iniciativa filantrópica (nos moldes do Teleton e Criança esperança) na rádio KLOS, estação especializada em Rock sediada em Los Angeles, Jimmy Bain e Vivan Campbell perceberam que o Heavy Metal não estava tendo boa representatividade na ação, então resolveram propor ao Dio fazer alguma coisa para mudar esta realidade.

Os três decidiram trabalhar em um projeto similar aos dois famosos, entretanto só com artistas envolvidos na cena Heavy. Eles compuseram a canção Stars, e nos dias 20 e 21 de maio de 1985 quarenta artistas consagrados estiveram presentes nos estúdios A&M Records Studio, em Hollywood, para emprestarem seus talentos a uma boa causa. O objetivo era arrecadar fundos para as crianças famintas na África.

A seleção de músicos era de deixar qualquer fã de cabelos em pé. Acompanhem:

Vocalistas: Ronnie James Dio, Eric Bloom (Blue Öyster Cult), Don Dokken (Dokken), Kevin DuBrow (Quiet Riot), Rob Halford (Judas Priest), Dave Meniketti (Y&T), Paul Shortino (Rough Cutt) e Geoff Tate (Queensrÿche).

Backing Vocals: Tommy Aldridge (Ozzy Osbourne), Dave Alford (Rough Cutt), Carmine Appice (Vanilla Fudge/King Kobra), Vinny Appice (Dio),Jimmy Bain (Dio), Frankie Banali (Quiet Riot), Mick Brown (Dokken), Vivian Campbell (Dio), Carlos Cavazo (Quiet Riot), Amir Derakh (Rough Cutt), Buck Dharma (Blue Öyster Cult), Brad Gillis (Night Ranger), Craig Goldy (Giuffria), Chris Hager (Rough Cutt), Chris Holmes (W.A.S.P.), Blackie Lawless (W.A.S.P.), George Lynch (Dokken), Yngwie Malmsteen, Mick Mars (Mötley Crüe), Michael McKean (David St. Hubbins do Spinal Tap), Dave Murray (Iron Maiden), Vince Neil (Mötley Crüe),Ted Nugent, Eddie Ojeda (Twisted Sister), Jeff Pilson (Dokken), Rudy Sarzo (Quiet Riot), Claude Schnell (Dio), Neal Schon (Journey), Harry Shearer (Derek Smalls do Spinal Tap), Mark Stein (Vanilla Fudge) e Matt Thorr (Rough Cutt).

Solos de Guitarra: Vivian Campbell (Dio), Carlos Cavazo (Quiet Riot), Buck Dharma (Blue Öyster Cult), Brad Gillis (Night Ranger),Craig Goldy (Giuffria), George Lynch (Dokken), Yngwie Malmsteen, Eddie Ojeda (Twisted Sister) e Neal Schon (Journey).

Guitaras: Dave Murray (Iron Maiden) e Adrian Smith (Iron Maiden).

Baixo: Jimmy Bain (Dio).

Bateria: Vinny Appice (Dio) e Frankie Banali (Quiet Riot).

Teclados: Claude Schnell (Dio).

Esta seleção foi imbatível!

Com um time desse quilate não tinha jeito de dar errado, e o resultado desta união é maior prova disto:

A canção é excepcional! Grandes riffs, vocais matadores, melodias sensacionais e solos de guitarra sobrenaturais fazem de Stars uma música maravilhosa. A razão dela existir é motivo extra para ser adorada por todos os fãs de Heavy Metal.

A idéia de Dio era lançar o single e o álbum logo após as gravações, no entanto alguns problemas nas negociações com as gravadoras (sempre as gravadoras para atrapalhar) dos 40 artistas acabaram atrasando o lançamento para janeiro de 1986. A iniciativa e o disco receberam o nome de Hear n’ Aid, e conseguiram arrecadar 1 milhão de dólares em um ano.

No álbum, além da Stars, que era faixa de abertura, marcam presença Up to the Limit – Live (Accept), On the Road – Live (Motorhead), Distant Early Warning – Live (Rush), Heaven’s on Fire – Live (Kiss), Can You See Me (Jimi Hendrix), Hungry for Heaven – Live (Dio), Go for the Throat (Y&T) e The Zoo – Live (Scorpions).

Capa do álbum.

Foi gravado também um documentário – muito bom, por sinal – sobre as gravações do single. Veja o documentário abaixo, dividido em três partes:

Essa foi a história do Hear n’ Aid! Amanhã, na sexta parte do especial SEMANA RONNIE JAMES DIO, vocês irão conferir mais sobre a carreira solo do mestre e seu retorno triunfal ao front do Black Sabbath.

Até a próxima!

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: